As ‘dez’ mais

Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016.

(Faltam: 20 dias para o Natal).

PRIMEIRA:

A coisa está feia para o Ministério Público. Ontem isso pode ser sentido pela reduzida presença do povo nas ruas defendendo as chamadas ‘Medidas Anticorrupção’. Em Campo Grande foram às ruas aproximadamente mil pessoas, ou seja: 1{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} do que compareceu no ‘Fora Dilma’.

SEGUNDA:

Desde domingo o Ministério Público está tomando ‘pau’ na imprensa por se meter aleatoriamente nas administrações públicas e órgãos de imprensa. BOCA DO POVO trouxe na capa de ontem a denúncia do deputado federal Zeca do PT, de que foi ‘abusado’ pelo GAECO. Domingo o “Correião” publicou a manchete: ‘MPE quer mandar na prefeitura’. Hoje, o mesmo ‘Correio do Estado’ trouxe matéria do nobre advogado Dr. Benedito de Figueiredo, denunciando os excessos praticados contra esta sociedade pelo GAECO.

TERCEIRA:

O Editorial de hoje do programa BOCA DO POVO, na super rádio Difusora, será lido e transcrito nos anais da Câmara Federal, pelo deputado Carlos Marun. Ele fala sobre a pretensão do Ministério Público Estadual instalar uma espécie de “ditadura” em nosso Estado.

QUARTA:

Dia 17, às 14 horas, o Asilo S. João Bosco vai promover o Natal dos Idosos. Será uma celebração aos que lá estão internados. Aguarda-se a presença de pessoas desta sociedade em mais essa promoção. Lembrando que nos dias 9, 10 e 11 será feita uma quermesse com bingos, para ajudar na manutenção do Asilo. Compareçam e prestigiem.

QUINTA:

Alcides Bernal está mesmo “pintando e bordando”. Imaginem que está ‘borrando’ a cidade com a cor azul. Descobrimos que a tinta é vencida e que foi doada ao município pela Velutex. Ela ficou muito tempo armazenada num depósito da prefeitura, obrigando a Vigilância Sanitária notificar a administração pelo produto causar mau-cheiro e oferecer risco à saúde de servidores.

SEXTA:

O promotor do GAECO Marcos Alex Vera me processou por achar que a crítica feita à ele como profissional do órgão, seria caso pessoal. Ele deseja que eu seja julgado por ter achado “vaidade” na conduta inadequada dele em ações do órgão. Vou ser ouvido amanhã. Todos os setores da imprensa estão de olho em mais essa pressão do MP. Aliás, o “Correião” de hoje trás denúncias de abuso de autoridade do Ministério Público. Um dos denunciantes parte do prestigiado, respeitado e querido jornalista, empresário e senador Antonio João Hugo Rodrigues.

SÉTIMA:

E como está generalizada a briga entre Ministério Público Estadual contra políticos e imprensa, hoje está sendo denunciado super-salários de magistrados e promotores, que chegam em alguns casos a R$ 107 mil mensais. São salários ilegais por que contradizem e contrariam a Constituição Federal do Brasil. Um procurador da República chegou receber em outubro de R$ 94,3 mil reais, quando o salário-base dele seria de R$ 28 mil reais.

OITAVA:

Outra denúncia contra o Ministério Público de nosso Estado é a escolha “seletiva” de suas “vítimas” feito com critérios desiguais. Numa ação por ‘improbidade administrativa’ contra o ex-prefeito de Chapadão do Sul tem como motivação – segundo a denúncia – por causa do prefeito ter interferido contra a escolha do escritório do Dr. Alexandre Bastos numa licitação. Também tem cobrança sobre “o que deu” a apuração contra um ex-Procurador Chefe do MPE, que recebia mensalmente uma ‘mala preta’ da Assembléia Legislativa, e nunca esse caso foi esclarecido.

NONA:

A Petrobrás ainda respira. Com o anúncio da OPEP que cortaria pela primeira vez em oito anos a produção de petróleo, as ações da estatal brasileira subiram 10{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} em um só dia.

DÉCIMA:

Não é verdade que o juiz Sérgio Moro largaria a toga para se tornar político em 2018. Pessoas ligadas a ele dizem que Moro tem pretensões de se tornar desembargador e não político.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários