As Dez Mais

Terça-feira, 23 de Maio de 2018.

Primeira:

Caminhoneiros estão no 3º dia de greve por combustível mais barato. Ontem o governo Temer deu um desconto de 0,05 centavos por litro. O diesel aumentou 59,32% em um ano.

Segunda:

A gasolina subiu em um ano 58,76% e está também merecendo protesto por parte dos seus consumidores. A política de dolarização dos combustíveis no Brasil está acabando com a mobilidade do povo.

Terceira:

O governo Temer está igual ao “cramulhão”: sai do lombo de um e já encarna no lombo de outro. Cortaram a Cofins dos combustíveis e já enfiando o imposto no lombo do empresariado.

Quarta:

O presidenciável do MDB, Henrique Meirelles, escolheu Mato Grosso do Sul para dar a partida na sua campanha, mas partiu mal ao confundir Mato Grosso do Sul com o Rio Grande do Sul. Pelo jeito Meirelles, que é um craque na matemática, deve ter faltado muito às aulas de Geografia.

Quinta:

Mesmo no além o ex-prefeito de Corumbá Ruiter Cunha sofreu ontem um “canetaço” no TJMS. O processo que julga o ex-prefeito, morto em novembro do ano passado, por improbidade administrativa, está suspenso a pedido de outros dois julgadores.

Sexta:

O ex-senador e ex-governador Eduardo Azeredo, do PSDB de Minas Gerais, já está com ordem de prisão decretada. Envolvido no ‘mensalão tucano’ ele foi condenado pelo desvio de R$ 3,5 milhões, num esquema que envolvia empresas estatais, e olhem que Azeredo se gabava de ser um político ‘íntegro’.

Sétima:

Empresa de equipamentos, especializada em copiadoras, que “papava” todas concorrências públicas, poderá ser denunciada por vender e não entregar equipamentos hospitalares. O escândalo poderá ocorrer antes que o dono dela termine seu grande empreendimento imobiliário.

Oitava:

93% dos funcionários da Câmara de Vereadores de Campo Grande são nomeados. A carga horária desses servidores diz estar sendo regulamentada. Dizem que se todos comparecerem para trabalhar a Casa terá que comprar escrivaninhas e cadeiras beliche.

Nona:

A propina que os policiais corruptos recebiam para abrir as estradas ao contrabando de cigarros paraguaios era de R$ 100 mil por mês. Até agora são 31 policiais envolvidos no esquema do “molha a mão”. Tem um que, ganhando 4 mil mensais, tinha patrimônio de R$ 7 milhões. O cigarro contrabandeado domina hoje 48% do mercado de cigarros vendidos no mercado brasileiro.

Décima:

Sérgio Longem não esperava tomar a multa ‘básica’ por divulgação de pesquisa sem registro. Vai ter que pagar R$ 106 mil reais. Longem se imaginava fora do alcance do braço da justiça. Pesquisa fria ou sem registro dá multa.

MEUS AMIGOS:

Haroldo Borralho; João “picapão”; Neury de Paula; Prof. Lázaro Bonifácio da Silva; Ângela Cotrim, em Camboriú-SC, ouvinte pela RadiosNet; Cris Mira. ANIVERSARIANTES DO DIA: Maria Augusta Waqued, Marina Fornari Ferreira, Dr. Mozart Vilela Andrade, Diana Duim e Adélia Franco.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários