As Dez Mais

Quarta-feira, 16 de Maio de 2018.

Primeira:

A Lei Municipal 5.820/2014 estabelece que pessoas que praticaram crime de “lesa humanidade” não podem ter seus nomes estampados em prédios públicos, avenidas praças e logradouros.

Segunda:

A Lei 5.820 se cumprida na sua integralidade poderá obrigar o prefeito a retirar o nome do general Ernesto Geisel de uma das principais avenidas desta Capital. Denunciado por 83 mortes durante o período do Golpe de 64, o general não pode mais dar seu nome à antiga Norte/Sul.

Terceira:

O deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP), me disse que durante o período Lula/Dilma, mais de 2 mil estudantes brasileiros foram mandados estudar em países socialistas com tudo pago pelo governo.

Quarta:

A deputada estadual Grazielle Machado que migrou para o PSD, mandou um recado para o Governo do Estado: “Saio da Base do Governo e serei uma deputada independente”. Seria um recado desnecessário, mas nas “entrelinhas” isso pode ter uma importante mensagem política cifrada a ser decodificada pelo PSDB.

Quinta:

As reformas feitas na Câmara Municipal e na Assembléia Legislativa custaram vários milhões aos cofres públicos. Disso quase ninguém fala.

Sexta:

A acadêmica Jéssica Fernanda de Abreu, de 26 anos, mentiu ter sido estuprada pelo seu ex-namorado Flávio Maury de Souza, de 37 anos. Pela falsa acusação de crime ele ficou preso 37 dias. Comprovado sua inocência, a estudante mentirosa foi condenada pela Justiça a pagar indenização por ‘danos morais’ de 20 mil reais ao prejudicado.

Sétima:

Jéssica Fernanda de Abreu mentiu às autoridades, Na verdade o estupro por ela denunciado foi mera invencionice. Ela teria tido relações consentidas com o atual namorado dentro do banheiro da UFGD, e mentido à família acusando o ex-namorado, que agora vai recebeu indenização pela falsa comunicação de crime, de tê-la estuprado.

Oitava:

O prefeito de Douradina, Jean Sérgio Clavisso Fogaça (PEN), foi obrigado demitir Paulo Almeida, das Finanças; e Deiry Jeanni Fogaça, superintendente de Cultura da cidade, tudo porque: Paulo é seu cunhado e Deiry sua irmã. Uma administração do tipo “trás-parente”. Nepotismo na sua mais pura essência.

Nona:

A ex-primeira-dama de Antônio João, Rosa Aparecida Vais Lopes Lozano, está recebendo uma pensão desde 2014. Ela foi contratada pelo ex-marido Selso Lozano (PR), como assistente social, ganhando R$ 4 mil por mês. Selso transformou aquela prefeitura numa sucursal da sua família. Mais um caso clássico de nepotismo.

Décima:

Lá em Itaporã, quem se ferrou depois de uma troca de tiros com a polícia foi um tal “Lasquinha”, jovem de 23 anos. Ele enfrentou a polícia, furou um bloqueio, trocou tiros e fugiu em alta velocidade. A PM foi “pra cima” e ‘lasquinha’ abandonou o veículo, fugido por um matagal. Foi encontrado na sua residência ferido e recebeu voz de prisão. Disse que estava com um colega fumando maconha e que ao ver a polícia se apavorou e fugiu, levando a pior.

MEUS AMIGOS

Empresário Darlan Briato; Sargento Matos da PM; Nayara, Iris e Tuca; Dr. Jorge Martins; João Fim. Aniversariantes do dia: Gustavo Stephanini, Idara Duncan e Hoover Orsi.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários