As ‘dez’ mais

Quinta-feira, 14 de julho de 2016.

1ª)

Hoje – 14 de julho – é comemorado o dia da queda da Bastilha, uma prisão política da França que existiu do século XVII ao XVIII, em Paris. Sua queda e destruição motivou a Revolução Francesa, se transformando a partir de 1880 no mais importante feriado nacional da França. Em novembro de 1789 a Bastilha foi totalmente demolida.

2ª)

Rodrigo Maia é o novo presidente da Câmara Federal. Ele nasceu no Chile, foi registrado no Consulado Brasileiro por seu pai, César Maia, que estava exilado. César foi três vezes prefeito do Rio de Janeiro e chegou a concorrer a presidência da República. Rodrigo representa o chamado ‘Centrão’ e é aliado do presidente interino Michel Temer.

3ª)

Eu vi ontem todos os documentos que comprovam que o suplente de deputado federal Elizeu Dionízio (PSDB), ex-vereador da Câmara de Campo Grande, e relator da cassação do prefeito reconduzido Alcides Bernal, amarelou na sua ida ao plenário da edilidade para falar do assunto. Elizeu foi “esquecido” no relatório final da Coffee-Break, mas perdeu pontos entre seus ex-companheiros de edilidade com sua atitude considerada vaidosa.

3ª)

Depois de muitas invenções descabidas, agora Bernal está metido em mais uma: O ‘catira do buraco’. Ele contratou pequenas equipes que assopram dentro dos buracos desta Capital, jogam asfalto frio para tapá-los, e um homem – geralmente gordo – sapateia sobre o asfalto jogado. Isso virou notícia no Boca do Povo, já ganhou os noticiários de televisão, e viralizou na internet.

4ª)

Eduardo Cunha é mesmo um mestre quando o assunto é adiamento de decisões e procrastinação de processos. Desta vez ele conseguiu adiar de novo a decisão do Conselho de Ética e somente em agosto é que deverá ser submetido à votação na Câmara Federal, podendo ou não ter o seu mandato cassado.

5ª)

Alcides Bernal anda meio descompensado quando o assunto é administração municipal. Pessoas ligadas à ele afirmam que ele anda nervoso com os últimos acontecimentos e reclamando de pressões do ministério Público. Há quem diga que pelas manhãs Bernal já chega ao gabinete salivando em excesso e com as pupilas dilatadas, o que, para um diabético em alto grau, não é nada bom.

6ª)

Com uma história não muito convincente, a tenente-coronel que matou o marido major tenta armar sua defesa afirmando que o marido estava indo no carro pegar uma arma para matá-la. Tudo indica que seu advogado sustentará a tese de legítima defesa, mas a história esbarra em dois pontos importantes: o major estava desarmado e foi morto com ‘dois’ balaços, o que significa que a tenente-coronel teve mesmo intenção de matá-lo.

7ª)

Quem está triste e cabisbaixo pelos corredores da Assembléia hoje é o deputado Zé Teixeira. Seu time – o São Paulo – perdeu ontem para o Nacional da Colômbia por 2 a 1, se despedindo da Libertadores. E quando o São Paulo perde o Zé fica inconsolável e muito mal-humorado, portanto, nada de tapinhas nas costas, piadinhas ou comentários sobre futebol até a ressaca passar.

8ª)

Baseado na lei da oferta e procura, os combustíveis no Brasil despencaram de janeiro para cá. Os postos venderam menos 4,4{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} de gasolina e álcool. A conseqüência disso é o preço do produto que está despencando nos postos. Em Campo Grande é possível encontrar gasolina a 3,16 o litro e com um detalhe: nem o preço está conseguindo atrair compradores.

9ª)

Sem cuidado da prefeitura os canteiros centrais de Campo Grande estão entregue às formigas e cupins, potencializando a queda de árvores durante ventanias e tempestades. O Correião de hoje trás uma foto do que isso significa. O canteiro central da Afonso Pena está entregue às formigas cortadeiras que estão pelando as belas árvores e a grama. É o resultado da incompetência administrativa da qual Bernal é um mestre.

10ª)

O delegado federal Marco André Araújo Damata, que quis investigar o ex-procurador-chefe do Ministério Público Humberto Brittes, passou a ser ‘persona non grata’ entre a cúpula da promotoria. Sem ligar para essa ‘lenga-lenga’ de prestígio, o delegado insiste que Brittes privilegiou o particular em detrimento do público e quer que o MP torne público os fatos para que o assunto seja tratado com a máxima transparência. Um dos protegidos por Brittes, segundo o delegado, teria sido o ex-governador André Puccinelli.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuui

Comentários

Comentários