As Dez Mais

Quarta-feira, 04 de Abril de 2018.

Primeira:

O Ministério Público Estadual foi “pra cima” do prefeito Aluísio São José, de Coxim, mandando-o pagar os salários atrasados dos servidores e proibindo-o de gastar com publicidade, propaganda e festas. Aluísio havia contratado uma agência de publicidade por R$ 750 mil reais. A ação também pediu que ele pague em dia os funcionários efetivos, comissionados ou temporários.

Segunda:

Londres Machado que era o “cabeção” do Partido da República, chorou na rampa como um “fenemezão”, mas acabou indo para o DEM. Sua filha e herdeira política – a deputada Grazielle Machado, assinou com o PSD. A ‘rasteira’ que Londres tomou da Executiva Nacional do PR foi emblemática. O partido foi para as mãos do ex-deputado federal Edson Giroto, que será candidato a Câmara Federal.

Terceira:

O polêmico Ministro do STF Gilmar Mendes, concedeu em Portugal uma entrevista sóbria aos jornalistas. Disse sobriamente que “O Supremo só é o Supremo, porque é supremo”. E disse mais: “O Supremo vota segundo aquilo que seus ministros analisam e sem a preocupação de ‘agradar ou não’ a maioria” e finalizou: “Se quiséssemos agradar contrataríamos o Ibope antes das nossas decisões”.

Quarta:

Correu uma ‘enquetezinha’ entre os funcionários administrativos da Educação que protestavam ontem na frente da Assembléia. A disputa era Puccinelli ou Azambuja para o governo. De cada 10 opiniões, 11 foram favoráveis a Puccinelli…

Quinta:

Hoje teve eleição das 10 às 10:30hs no CRO-MS, para escolher o delegado-eleitor que irá à Brasília representando nosso Estado, para escolher o futuro Conselheiro do Conselho Federal de Odontologia.

Sexta:

Nas redes sociais o funcionalismo continua bravo com o pagamento atrasado feito por Azambuja. A folha salarial fecha todo dia 21 de cada mês. Enquanto o prefeito Marquinhos Trad (PSD), pagou os servidores na sexta-feira, Azambuja esperou até ontem – dia 3 – para liberar o pagamento. Isso num ano eleitoral é tri-nitroglicerina pura!.

Sétima:

Reynaldo decidiu ungir o seu secretário de Obras Marcelo Migliolli, com o aparente direito de concorrer ao Senado. O que pareceu “promoção e prestígio” soou como um alívio dentro do ninho tucano. Dizem que Migliolli infernizava a vida de todo mundo. Nos meios políticos Miglioli virou a “minhoquinha” do anzol do Azambuja para pescar Murilos em Dourados.

Oitava:

O TJMS jogou a derradeira pá de cal na cassação feita pela Câmara contra Alcides Bernal. Desembargadores reconheceram a validade da cassação que tornou Bernal inelegível por 8 anos. Amigo meu ligado à Justiça, disse que agora vai chover pedidos de indenização por ‘danos morais’ contra o Ministério Público que andou prendendo e esculhambando pessoas sérias desta sociedade.

Nona:

O deputado estadual Renato Câmara virou a “bola da vez” ao promover o 1º Seminário Estadual da Guavira, dias 12 e 13 no auditório da UFMS. Críticos dizem que Renato deveria colocar seus assessores para trabalhar. Em tempo: Nem estamos no mês das guaviras.

Décima:

Deu zebra a procuração passada pelo prefeito de Aquidauana dando plenipoderes ao seu maior puxa-saco dentro da prefeitura. A população está revoltada e o Ministério Público entrou na parada para resolver o assunto que começou com uma denúncia nas páginas da revista ‘Boca do Povo’.

MEUS AMIGOS:

Marcos Fernando Hugo Rodrigues, diretor-executivo do Correio do Estado; Antonio João Hugo Rodrigues que está decidindo por qual partido será candidato a deputado estadual; Vitória, filhinha graciosa do casal Edson Giroto e Raquel; D. Maria, mãe do Celso da Casa Certa Materiais para Construção no corredor do Nova Lima; Mara Lima, Humberto Espíndola, Estefânia Recalde aniversariantes do dia; Deputado Zé Teixeira e Valzumiro Ceolin.

Amanhã eu volto.

Fuuuuuuuuuuuui.

Comentários

Comentários