Beneficiários do programa Habitacional se não residirem terão que devolver chaves do imóvel

Equipe da Emha, juntamente com Agehab e Caixa Econômica Federal realizaram, hoje,  vistoria em 266 moradias dos residenciais Celina Jallad I e II, localizados no Bairro Caiobá  região urbana do Lagoa. A ação foi acompanhada pela Guarda Municipal de Campo Grande.

A ação buscou atestar se os beneficiários contemplados com o Programa Minha Casa, Minha Vida ainda moram nas unidades habitacionais destes residenciais. O diretor-presidente da Emha, Enéas José de Carvalho Netto, explica que a ação, além de ter o propósito de notificar beneficiários que não ocupavam suas casas e verificar a presença de moradores que habitavam de forma irregular no empreendimento, teve ainda caráter educativo e moralizador.

Várias denuncias foram feitas em relação a venda e locação do imóvel de interresse social, em virtude disso foram expedidos notificações referentes a casas desocupadas, ocupadas por terceiro ou invadidas. Os beneficiários de moradias desocupadas, vazias ou ausentes terão que comparecer à sede da Emha, munidos dos documentos pessoais, para explicar o motivo de não terem sido encontrados durante a força-tarefa de verificação.

Os beneficiários que venderam, alugaram ou cederam seus imóveis terão prazo de cinco dias para devolver as chaves do imóvel.

Comentários

Comentários