Veterinário Francisco alerta sofre infestação de escorpiões na Capital

Foto Ilustrativ: TV Tambaú

De janeiro até novembro deste ano foram contabilizados 537 incidentes envolvendo escorpiões em Campo Grande. O mês de dezembro ainda não foi contabilizado. Esses dados são da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) que estima que em média 48 casos são atendidos por mês. O levantamento é originado por notificações realizadas em UPAs, UBSFs. “Nos estamos andando pelos bairros da Capital e verificamos muitas reclamações sobre incidentes com escorpiões do bairro Buriti até o Carandá Bosque temos informações de pessoas que foram picados pelo aracnídeo. Esse tempo chuvoso e quente propicia a proliferação desse animal”, explica o vereador veterinário Francisco(PSB)

O parlamentar conta que o número vítimas de picadas de escorpiões aumento entre o período de 2000 a 2016 foi de 12.552 para 91.485 no país, segundo levantamento do Ministério da Saúde. As espécies com maior índice de ataque são do escorpião-amarelo (Tityus serrulatus) e escorpião-do-nordeste (Tityus stigmurus).

Com mais de 35 anos de profissão, o vereador veterinário Francisco explica que existe 10 mandamentos para prevenir a proliferação de escorpiões: Evite acumular lixo e entulho perto de casa; Tape as frestas e buracos das paredes; Sacuda sapatos e roupas antes de usá-los; Não guarde objetos embaixo das camas; Afaste as camas das paredes; Manuseie com cuidado telhas e tijolos acumulados; Atenção ao pegar lenhas ou quando estiver capinando; Use botas quando estiver trabalhando pisando em folhas, capim seco e úmido; Cuidado ao trabalhar com carregamentos de lenha, madeira tijolos e telhas; Preserve os sapos: eles são predadores naturais dos escorpiões.

O veterinário lembra ainda que manter a casa limpa e livre de lixo, tapar os buracos e frestas das paredes, janelas, portas e rodapés e também verificar o telhado, pois por ser úmido e quente é um local propicio para encontrar o escorpião. Ele lembra ainda que é bom sacudir as roupas, sapatos e toalhas de banho antes de usá-los.

Os escorpiões se alimentam de aranhas e insetos (baratas, grilos, cupins entre outros). Para caçá-los, eles se utilizam das grandes pinças e do veneno que trazem na ponta da cauda. Os inimigos naturais do escorpião são os sapos e galinhas. Esses animais comem os escorpiões e contribuem para a prevenção de acidentes.

A Sesau alerta que em situação de aparição do bicho, o morador deve entrar em contato com o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) para receber as orientações e, se for o caso, agendar visita. O número do serviço é (67) 3313-5026 (horário comercial) ou no (67)3313-5000 e (67)3314-9955.

Créditos: Eduardo Penedo / Assessoria de Imprensa do vereador 

Comentários

Comentários