Tese de Pesquisadora de MS é publicada em livro internacional de geociências e meio ambiente

Foto: Divulgação

A pesquisadora Patrícia Cristina Statella Martins, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), e professora do curso de Turismo da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), teve parte de sua tese de doutorado publicada no livro “The Physical Geography of Brazil: Environment, Vegetation and Landscape”,  uma produção da editora Springer, reconhecida internacionalmente na área de geociências e meio ambiente.

A tese “As paisagens da faixa de fronteira Brasil/Bolívia: complexidades do Pantanal Sul-Mato-grossense e suas potencialidades para o Turismo de Natureza” teve financiamento da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul  (Fundect), no período de novembro de 2015 a outubro de 2018, e contou com a orientação do professor Dr. Charlei Aparecido da Silva, e colaboração do professor Dr. Marcos Norberto Boin.

De acordo com a pesquisadora, a tese foi uma construção transversal, no domínio da Geografia e do Turismo, que teve como objetivo principal investigar a paisagem de maneira descritiva, analítica e de síntese, a partir da concepção sistêmica, utilizando-se de critérios como forma, estrutura e função, na área de estudo.

“A publicação apresenta uma parte do capítulo 5 da Tese onde foi feita a caracterização do Pantanal na área de estudo. Apresentamos à comunidade científica internacional o panorama físico do Brasil (Espaço Natural: geologia, clima, relevo, solos, vegetação, recursos hídricos e principais questões ambientais) mostrando os principais domínios Morfo-bio-climáticos. O capítulo que publicamos apresenta as características do Pantanal”, afirma Patrícia.

Segundo a pesquisadora, a qualidade do livro, seu alcance e o trato acerca das questões ambientais, permite dizer que a obra será uma referência por muitos anos.

“Há muito o que se pesquisar no Mato Grosso do Sul no que se refere ao turismo de natureza. Os desafios futuros residem em dois campos, o primeiro é o fomento das pesquisas, sem o qual não há como avançar, e, nesse caso a Fundect tem um papel essencial. O segundo é a construção de uma pauta política para que as pesquisas sejam incorporadas nas políticas públicas de Mato Grosso do Sul. Um dos papéis do conhecimento desenvolvido na academia é subsidiar ações que possam permitir o desenvolvimento socioeconômico, uma sociedade mais igualitária e à conservação e preservação do meio ambiente”, finaliza.

Créditos: Diogo Rondon, Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul  (Fundect)

 

Comentários

Comentários