Sindicato da polícia propõe mudanças para agilizar atendimentos

O presidente do Sinpol-MS, Giancarlo Miranda, pediu o apoio da Adepol-MS nas reivindicações do sindicato, pois considera que para se ter uma Polícia Civil eficiente e que preste o serviço com a qualidade que a sociedade sul-mato-grossense anseia, é necessário que todos os policiais civis, independentemente do cargo que ocupem, sejam valorizados.

O presidente da Adepol-MS, Marcelo Vargas, afirmou não se opor as demandas do sindicato e se propõe a ser parceiro, no que lhe couber. Vargas lembrou que há itens na carta-compromisso assinada pelo governador Reinaldo Azambuja que contempla todas as categorias da Polícia Civil.

Sobre a participação das entidades no Seminário Ciclo Completo realizado no início de novembro, onde representantes de outras forças policiais criticaram a demora no atendimento da Polícia Civil e sua resolubilidade de crimes, Giancarlo pediu o apoio da Associação, pois é chegada a hora de um basta ao registro de ocorrências atípicas nas delegacias.

“É inconcebível que grande parte das ocorrências registradas nas delegacias seja de extravios de documentos, preservação de direitos, dentre outros. A polícia judiciária/investigativa deve dedicar-se a fatos tipificados no código penal, sobretudo pela precariedade das unidades e carência de servidores”, explicou Giancarlo. Ainda de acordo com o sindicato, essa prática engessa o combate ao crime e compromete a eficiência do serviço público ofertado pela instituição.

O Sinpol-MS apresentará seu posicionamento sobre este tema a Delegacia-Geral e a Sejusp objetivando que os policiais civis atuem na sua área fim e, assim, a sociedade sinta-se verdadeiramente mais protegida.

Comentários

Comentários