SGT da PMMS ajuda voluntariamente no reencontro de familiares de brasileiros separados pelo mundo

Foto: AMEMS

O 1°Sargento da Policia Militar de Mato Grosso do Sul, Adenilson Lopes Veiga, lotado no 10º BPM, que é bilíngue, fala inglês e espanhol, tem desenvolvido um trabalho voluntário de ajudar na localização de famílias brasileiras que se separaram, por diversos motivos, e atualmente residem em outros países.

“Há cerca de 7 anos encontrei por acaso na internet um relato de uma jovem francesa (Laure Baquias) dizendo que fora adotada no Brasil a 24 anos atrás e que agora procurava por suas raízes biológica, mas já estava sem esperança pois já tinha vindo até o Brasil e não teria conseguido nada. ”Relata o Sargento.

Diante dessa mensagem perdida na internet, Veiga sentiu a vontade de ajudar, e entrou em contato com Laure, e em 4 dias teve êxito em localizar a família dela na Bahia. Posteriormente, com as informações, Laure veio ao Brasil e encontrou pessoalmente os familiares.

Ajudar a francesa Laure, foi o primeiro trabalho voluntário e anônimo, desenvolvido pelo militar, de dezenas que se seguiram, pois diversas pessoas de Israel, Estados Unidos e outros países da Europa, que teriam sido adotados no Brasil, muitos de forma irregular, entraram em contato o sargento, pedindo ajuda para reencontrar seus familiares brasileiros.

Há cerca de 4 anos atrás, foi criado um grupo no Facebook chamado “Adoped From Brazil in Israel” que visava a reunir brasileiros que foram traficados sob o disfarce de adoção para Israel, onde, segundo estimativas, na década de 80, pelo menos 2 mil crianças teriam sido levadas para o exterior com documentos falsos ou incompletos. Nesse grupo voluntário brasileiros efetuam buscas pelos familiares daqueles que desejam fazer contato com suas famílias biológicas, dentre estes voluntários, um dos membros é o sargento Veiga. Desde que foi criado muitos destes brasileiros expatriados, foram agraciados pelo resultado positivo em encontrar suas famílias no Brasil, e outros ainda esperam por esse dia, pois as informações em seus documentos de doação são totalmente falsos.

“No dia 02 de novembro, uma dessas pessoas adotadas me contatou pelo grupo e pediu ajuda para reencontrar a sua irmã no Brasil, bem como sua família, o qual sabia que estava viva, porém quase impossível de encontrar. Tratava-se da senhora Orly YALON, que foi adotada para Israel, mas hoje vive na Tailândia. Orly relatou que em 2010 tentou localizar sua família através de um investigador particular, porém teve relativo sucesso já que sua mãe biológica já havia falecido em 2006 e sua única irmã (Josiani) não estava no local visitado pelo investigador, diante disso desistiu por um tempo.

Após ela efetuar esse contato com o policial militar o mesmo após algumas tentativas conseguiu localizar os dados da Sra. Josiane Moraes bem como endereços, fotos, Facebook etc., porém esbarrou se na distância dos Estados e telefones desatualizados, bem como falta de resposta no perfil do Facebook. Diante da situação entrei em contato com o SGT PM Soares de Santa Catarina e pedi auxílio o qual imediatamente colocou em contato com o CB PM Ribeiro que trabalha no SOS Desaparecidos. Prontamente o militar se prontificou em ajudar e de posse das informações preliminares e foi até a empresa informada pelo Veiga onde trabalha a Sra Josiani Moraes e finalmente fechou com chaves de ouro a luta de 34 anos de busca interminável por ambas as famílias. ” Declarou Veiga.

Posteriormente, o contato foi feito através de vídeo de uma irmã para a outra mediado pela equipe do SOS e SGT Veiga, já que Orly YALON não fala português, mas teve como intérprete o próprio SGT Veiga. Dentro de 4 meses ela vira ao Brasil reencontrar pessoalmente a irmã e agradecer a todos.

“Sargento Veiga é um exemplo de ser humano e cidadão. Em nome da Diretoria da AME-MS, gostaria de parabenizá-lo, por este trabalho fantástico de unir famílias pelo mundo afora. ” Pontuou Thiago Monaco Marques presidente da Associação dos Militares Estaduais de Mato Grosso do Sul- AME-MS.

Créditos: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO / AMEMS

Comentários

Comentários