Sexo raramente provoca infartos, aponta estudo

Sexo raramente provoca infartos e a maioria das pessoas que sofrem um ataque do coração pode retomar a atividade sexual, segundo um estudo divulgado pelo “Journal of the American College of Cardiology”.

Muitas das pessoas que sofreram um infarto se perguntam se é seguro praticar sexo novamente, uma incerteza para a qual essa pesquisa dá a resposta: a atividade física que a prática sexual implica é comparável a subir duas escadas de vários degraus ou dar um passeio a bom ritmo.

“Segundo nossos dados, parece muito improvável que a atividade sexual seja relevante na hora de desencadear um ataque cardíaco”, considerou em comunicado Dietrich Rothenbacher, o principal pesquisador do estudo e professor do Instituto de Epidemiologia e Biometria Médica da Universidade de Ulm, na Alemanha.

“Menos da metade dos homens e menos de um terço das mulheres recebem informação de seus médicos sobre atividade sexual após um ataque ao coração. É importante garantir aos pacientes que não é preciso se preocupar e que podem retomar a atividade sexual com normalidade”, acrescentou.

Comentários

Comentários