Servidores da UFMS vão engrossar a greve nacional da educação no dia 15

Servidores ativos, aposentados e pensionistas reunidos hoje (9) pela manhã em Assembleia Geral Extraordinária no SISTA-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFMS) decidiram aderir à greve nacional da educação, no próximo dia 15 de maio. A ação será em resposta aos ataques do Governo Federal à educação pública que tem recebido duros golpes, como o corte de 30% das verbas do setor e a proposta de aposentadoria, que penaliza também professores e servidores públicos das universidades.

A Greve em Mato Grosso do Sul deverá ter a participação de professores e acadêmicos da UFMS, informa Waldevino Basílio, coordenador geral do SISTA-MS, que dirigiu a assembleia geral extraordinária, juntamente com a coordenadora Cléo Gomes.

Basílio informou que o SISTA-MS aprovou a greve não só em defesa da Educação mas também contra a famigerada reforma da Previdência Social. “Nos próximos dias vamos decidir, junto com outras forças e entidades, como faremos esse movimento do dia 15”, explicou Basílio.

As centrais sindicais, em todo país,  vão engrossar as mobilizações dos servidores das universidades públicas, estudantes, professores no atos marcados para a próxima quarta-feira (15), greve nacional da educação.

A decisão foi tomada em reunião ontem (8), que reuniu representantes da CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CGTB, Intersindical, CSP-Conlutas, Nova Central e CSB.

Comentários

Comentários