Sediada em escritório de contabilidade ganha contrato emergencial e se torna ‘suspeita’

Se um cliente, pessoa física, procurar os serviços da Pirâmide Central Informática enfrentará embaraço. O embaraço começa no momento de se situar onde fica o escritório da empresa.

No local, em Campo Grande a sede da Pirâmide Contabilidade, do mesmo dono, a informação é de mudança de endereço. A ressalva é que o novo endereço até agora ninguém soube dizer onde. Todavia, isso não impediu a celebração de um contrato de R$ 7,4 milhões com o Detran-MS.

E foi justamente a lista de contratos vultuosos abocanhados pelo CNPJ da Pirâmide Informática que despertaram a atenção de empresas concorrentes do segmento e de servidores estaduais de Mato Grosso do Sul. De acordo com as denúncias, a Pirâmide ou ‘Qliktec Solucoes Integradas’ (um dos nomes fantasia já utilizados), estaria abocanhando contratos que seriam tradicionalmente de empresas ligadas ao conglomerado investigado pela Polícia Federal e apontado como supostamente chefiado pelo empresário João Baird.

“No começo, o contador titular desse escritório chegou a prestar serviços para o Baird”, afirma servidor público estadual que durante alguns anos acompanhou a execução de contrato agora assumido pela empresa Pirâmide. O escritório ao qual ele se refere é justamente o que funciona no endereço já apontado como oficial do CNPJ.

A suspeita que envolve o grupo Pirâmide é de que o escritório de contabilidade em questão teria prestado serviços ao empresário João Baird, apontado pela Polícia Federal e pelo MPE-MS, como responsável por empresas da área de TI (Tecnologia da Informação) com contratos milionários, sob investigação, com Poder Público.

 

Comentários

Comentários