Saúde dá início à vacinação da segunda dose contra HPV

Objetivo é alertar sobre a importância da vacina para garantir proteção contra HPV; doença é responsável por 70{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} dos casos de câncer do colo do útero.

A partir deste mês de setembro, as meninas de 9 a 11 anos que tomaram a primeira dose da vacina quadrivalente contra Papiloma Vírus Humano (HPV), devem retornar a um posto de vacinação para receber a segunda dose.

A vacina protege contra dois subtipos de HPV, doença responsável por 70{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} dos casos de câncer do colo do útero e a terceira causa de morte de mulheres no Brasil.

Durante entrevista realizada nesta quinta-feira (10) para anunciar o início da vacinação da segunda dose, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, ressaltou a importância da vacina na prevenção contra o câncer do colo do útero.

“O Ministério da Saúde convoca os pais, responsáveis, gestores locais, professores e toda a sociedade para divulgar a informação de que a vacina é segura e eficaz”, ressaltou.

A vacina contra o vírus está disponível em 36 mil salas de vacinação espalhadas pelo País. Até agosto, 2,5 milhões de meninas de 9 a 11 anos foram vacinadas contra o HPV. Isso representa 50,4{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} do público-alvo, formado por 4,9 milhões de meninas nessa faixa-etária.

No ano passado, quando a vacina foi disponibilizada no Sistema Único de Saúde (SUS), 100{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} do público estimado foi vacinado com a primeira dose, alcançando 5 milhões de meninas de 11 a 13 anos.

Entretanto, só 3 milhões destas meninas procuraram uma unidade de saúde para tomar a segunda dose, o que representa 60{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}, sendo que a meta do Ministério da Saúde é vacinar 80{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} do público–alvo.

A vacina contra o HPV é indicada para adolescentes de 9 a 13 anos com três doses. Após a primeira dose, a menina deve receber a segunda seis meses depois, e a terceira, de reforço, cinco anos após a primeira dose. Além do documento de identificação, o Ministério da Saúde recomenda que seja apresentado o cartão de vacinação.

Desde março de 2014, o SUS oferece a vacina quadrivalente, que confere proteção contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18), com 98{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} de eficácia em quem segue corretamente o esquema vacinal.

Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} dos casos de câncer do colo do útero em todo mundo e os subtipos 6 e 11 por 90{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} das verrugas anogenitais.

A vacina tem eficácia comprovada para proteger mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus.

Hoje, a vacina é licenciada em mais de 130 países e é utilizada como estratégia de saúde pública em mais de 60 países, por meio de programas nacionais de imunização.

Vírus

O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para o filho no momento do parto.

Estimativas da Organização Mundial da Saúde indicam que 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 32{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} infectadas pelos tipos 16 e 18, que são de alto risco para o desenvolvimento câncer do colo do útero.

Estudos apontam que 270 mil mulheres morrem devido à doença no mundo. Neste ano, o Instituto Nacional do Câncer estima o surgimento de 15 mil novos casos.(Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde)

Comentários

Comentários