Rumo a Tóquio? Aos 18, Duda festeja dupla com Ágatha: "Vai encaixar bem"

Campeã da Olimpíada da Juventude, sergipana jogará ao lado de medalhista olímpica de prata a partir de janeiro sob o comando da mãe, Cida, e da campeã Jackie Silva

Aos 18 anos, a jovem Duda é tida como uma das mais promissoras jogadoras da nova geração no vôlei de praia. É uma joia, um diamante bruto, que precisa ser lapidado. E ninguém melhor para fazer isso que duas atletas medalhistas olímpicas. Nesta segunda-feira, a paranaense Ágatha, de 33 anos, anunciou que, a partir de janeiro, jogará com a sergipana. Recentemente, ela foi prata nos Jogos do Rio 2016 com Bárbara Seixas, que optou por encerrar a parceria logo após a competição. De olho em Tóquio 2020, elas terão uma comissão técnica de muito peso. Serão duas treinadoras, Jackie Silva, pioneira da modalidade e medalhista de ouro em Atlanta 1996, e a mãe de Duda, a também ex-jogadora Cida. Além delas, os preparadores físicos Lucas e Renan, o segundo, marido de Ágatha, completam o time. Duda se diz empolgada.

– Estou muito feliz, vai ser uma experiência nova para mim, ela vem de uma crescente muito boa, é uma atleta experiente e vai encaixar muito bem. A intenção é ir até 2020, disputar a Olimpíada, esse é o nosso foco. Eu acho que ela vai me ajudar muito, porque tem toda a experiência. Ela vai me passar como é a preparação olímpica, as dificuldades, como é treinar quatro anos seguidos com um objetivo. Não podia estar mais feliz – comentou a menina de Aracaju, que deve se mudar para o Rio de Janeiro em breve por conta do projeto, apesar de contar até mesmo com um Centro de Treinamento montado pela própria mãe em Sergipe.

Apesar da idade, Duda tem bastante rodagem – já atuou ao lado de Tainá, Thaís, Andressa, Ana Patrícia e Elize Maia -, e, em 2013, tornou-se a primeira jogadora da história a disputar os três Mundiais de base no mesmo ano, sagrando-se campeã mundial sub-19 e vice-campeã mundial sub-23. Em 2014, foi para a seleção adulta, venceu de novo o Mundial sub-19 e conquistou a Olimpíada da Juventude, na China.

Ela ainda vai disputar cinco etapas do Circuito Brasileiro de vôlei de praia ao lado de Elize Maia, com quem cresceu muito nos últimos tempos. A primeira delas será em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, de 22 a 25 de setembro. Em janeiro, começa a jogar com Ágatha. Enquanto isso, a ex-companheira de Bárbara Seixas vai atuar ao lado de Carol Solberg a partir da etapa de Brasília, no Distrito Federal, de 13 a 16 de outubro, até o mês de dezembro. A irmã de Pedro Solberg deu à luz um menino recentemente e abriu a parceria com Maria Clara.

– Eu e Elize fizemos uma historia muito bonita, mas conversamos e está tudo certo.

A jogadora conta que foi pega de surpresa com a notícia da separação de Ágatha e Bárbara Seixas, que estavam juntas desde 2011 e eram consideradas uma dupla muito unida. A carioca tem novos projetos em mente para Tóquio 2020 sob o comando de seu marido, Rico de Freitas.

– Primeiro eu nem sabia que isso estava acontecendo, depois que acabou e, por alto, todo mundo falou disso. Eu fiquei na minha, porque não posso ter pressa de nada, mas foi bom para mim e acho que vai ser bom para a Ágatha também – opinou.

Além da experiência que a nova parceira vai passar, Duda já tem outras um tanto quanto interessantes. Além de ser campeã olímpica da juventude, esteve na Rio 2016 em um projeto do Comitê Olímpico do Brasil (COB) chamado “vivência olímpica”. Ela e outras apostas do esporte nacional estiveram no Rio de Janeiro para viver o clima do megaevento.

– No vôlei de praia, eu peguei os jogos de Alison e Bruno contra Dalhauisser, foi muito bom, curtimos tudo, fomos na Vila dos Atletas, no Espaço Time Brasil, conheci a Arena de Vôlei de Praia, a Casa do Japão, porque a próxima Olimpíada será lá. Vi muitos atletas que gostava, que gosto, os vi bem de perto concentrados para ir para uma prova. Foi bem legal. Vi até uma palestra do técnico do Arthur Zanetti. Eu fiquei muito ansiosa (risos) – finalizou a atleta.

De acordo com informações obtidas pelo GloboEsporte.com, Bárbara Seixas já estaria fechada com a atleta Fernanda Berti para o ciclo olímpico de Tóquio 2020. A jogadora, contudo, ainda não anunciou oficialmente sua companheira.

Fonte: Ge

Comentários

Comentários