Quatro em cada dez micro e pequenos empresários estão fazendo promoções de Natal, mostra SPC Brasil

Com cenário econômico de retração, empresários fazem promoções para aumentar o volume de clientes e reduzir os estoques.

O Natal, principal data comemorativa para o varejo, é sempre esperado pelos empresários que esperam terminar o ano com bons resultados de vendas. Porém, em meio a uma crise econômica, o cenário será diferente em 2015.

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que quatro em cada dez (43{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}) proprietários ou responsáveis pela gestão financeira de micro e pequenas empresas estão, de maneira atípica, buscando alternativas para alavancar as vendas em dezembro e fazendo promoções em seus produtos e serviços, que tradicionalmente só ocorrem em janeiro.

De acordo com o levantamento, feito em todo o Brasil, 49{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} dos empresários do setor de comércio estão fazendo ou farão promoções em suas lojas no Natal – já o setor de serviços compreende uma parcela menor, 38{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}.

De acordo com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, diante do cenário econômico atual, essa estratégia pode ser boa mas não se deve criar tanta expectativa: “2015 foi um ano de retração nas vendas em quase todas as datas comemorativas importantes para o varejo, e os comerciantes não devem esperar resultados tão superiores se comparado ao ano passado”, analisa.

De fato, entre os micro e pequenos empresários que estão fazendo ou pretendem fazer promoções, 67{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} disseram que o objetivo é aumentar o volume de clientes na loja, sendo esta uma estratégia para atraí-los.

Outros 29{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} afirmaram que as vendas estão ruins, e querem reduzir o estoque parado – com destaque para o setor de comércio, com 35{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} ante 21{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} do setor de serviços.

Já entre os que não pretendem fazer promoções no Natal, 67{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} não veem a necessidade e 17{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} afirmam que o Natal é a oportunidade para vender com maior margem de lucro – destaque entre o setor de comércio (25{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}).

A economista alerta esses empresários: “Ainda que, de fato, seja uma boa época para ter maior margem de lucro, os consumidores estão pisando no freio na hora de comprar os presentes e gastar com comemorações, e na hora de escolherem as lojas e serviços para comprarem, certamente irão preferir as que dão bons descontos e melhores oportunidades de pagamento”.

Um levantamento realizado pelo SPC Brasil, mostra que para 76,7{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} dos consumidores as promoções e descontos dos produtos são os principais fatores responsáveis por levarem os consumidores a entrarem nas lojas, seguido pelos preços (49,7{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}).

Metodologia

O SPC Brasil entrevistou 800 proprietários ou responsáveis pela gestão financeira de micro e pequenas empresas situadas nos 27 estados brasileiros.

Foram consideradas MPEs aquelas que possuem de 1 a 49 funcionários. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}.(www.spcbrasil.org.br)

Comentários

Comentários