Protestos em Campo Grande deixam o transito caótico

Manifestações ocorridas diariamente têm estrangulado ainda mais o trânsito da região central de Campo Grande. A cidade, com frota de 545 mil veículos, tem sido palco de passeatas e carreatas ininterruptas nos últimos cinco dias. E, hoje, atos públicos pelo centro prosseguem. Em comum, as maiorias dos protestos são contra a administração municipal.

Cerca de 70 caminhões de entulhos  na manha de ontem (20) saíram em carreata dos altos da Afonso pena até o paço municipal, onde foram recebidos pelo prefeito Alcides Bernal.

O governo do Estado também deu sua colaboração para prejudicar o fluxo de veículos no trânsito do centro de Campo Grande. Ontem, depois da solenidade na Praça Ary Coelho, 85 viaturas saíram pelas ruas centrais da cidade.

Na segunda-feira, cerca de 2 mil pessoas, a maioria servidores desligados da Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária (Seleta) e da Organização Mundial para Educação Pré-Escolar (Omep), fizeram passeatas no centro da Capital. Durante a manifestação, foram fechadas as ruas Padre João Crippa, Avenida Afonso Pena e Rua 14 de julho. Por onde os manifestantes passam, o trânsito ficou interrompido, dificultando o fluxo de veículos e pedestres.

Comentários

Comentários