Projetos do Centro de Diagnóstico de Dourados estão em fase de elaboração

O deputado federal Geraldo Resende garantiu duas emendas para o projeto, totalizando recursos federais de R$ 6,89 milhões; obra será edificada em área anexa ao futuro Hospital Regional de Dourados

 

O governo do Estado já iniciou, por meio de uma empresa especializada, a confecção dos projetos de arquitetura para a construção do Centro de Diagnóstico Especializado de Dourados (CDED). A futura unidade de saúde, que deverá oferecer todos os tipos de exames de imagens e laboratoriais para a rede pública, será construída na mesma área em que será levantado o futuro Hospital Regional de Dourados.

Recursos federais da ordem de R$ 6,89 milhões foram garantidos deputado federal Geraldo Resende, dos quais R$ 3,39 milhões foram empenhados no ano passado e R$ 3,5 milhões são referentes a uma emenda ao Orçamento da União/2016 que está cadastrada no Fundo Nacional de Saúde, em análise, para posterior empenho.

Como será

         O Centro de Diagnóstico Especializado de Dourados é uma antiga demanda do Município que deverá se tornar realidade nos próximos meses. O CDED deverá ser implantado ao lado do futuro Hospital Regional de Dourados, no quilômetro 3 da Rodovia BR-463, saída para Ponta Porã.

Pela proposta aprovada pelo Ministério da Saúde o CDED será dotado de equipamentos de última geração, possibilitando à população ter, em um único local, exames de tomografia computadorizada, ressonância nuclear magnética, ultrassonografia, endoscopia e colonoscopia, raios-x digital, Dopplervelocimetria, laboratório de análises clínicas, teste ergométrico, holter 24 horas, eletroencefalograma, eletrocardiograma, densitometria óssea, entre outros.

O Centro de Diagnóstico deverá atender os 35 municípios da Região da Grande Dourados, que possui aproximadamente 800 mil habitantes. Também deverá fazer retaguarda diagnóstica ao futuro Hospital Regional de Dourados, oferecendo desde simples exames de hemograma, até ressonância magnética nuclear. O prédio deverá ter 1.150m2, distribuídas em 31 salas de consultórios/exames, de um total de 104 ambientes.

O projeto

“Quando o CDED ficar pronto, os pacientes do SUS não precisarão mais enfrentar longas filas de espera para marcação de exames diagnósticos, sobretudo em clínicas particulares, que têm cobrado muito caro, desfalcando os cofres públicos. Há exames que oneram três ou quatro vezes a mais que a tabela praticada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), comprometendo muito os recursos já insuficientes na saúde”, explica Geraldo Resende.

A ideia também é zerar a espera interminável em filas para realização dos procedimentos. “Vamos ter mais agilidade nos tratamentos clínicos e cirúrgicos aqui mesmo na nossa região, sem a necessidade de encaminhar os exames para as clínicas particulares e alguns outros para Campo Grande”, diz o parlamentar.

Comentários

Comentários