Prefeitura quita 13º e volta a pagar salários em dia em fevereiro

Prefeito Marcos Trad fez balanço positivo de um mês no cargo

Décimo terceiro e salário de servidores, conforme o prefeito Marcos Trad (PSD), serão regularmente pagos no mês de fevereiro em Campo Grande. Funcionalismo público sofre com eventuais atrasos e parcelamentos nos últimos quatro anos. Balanço foi realizado em agenda pública e em programa de rádio.

“Estamos terminando última parcela do décimo terceiro [dos servidores] e vão receber em dia o salário de janeiro”, ressaltou o prefeito. Arrecadação de R$ 180 milhões do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) teria possibilitado colocar as contas em dia.

Marcos Trad, que se classifica como “perfeccionista e rigoroso”, avaliou os trinta primeiros dias à frente da administração municipal como de equilíbrio entre crises deixadas pelo antecessor de não pagamento de servidores, hospitais, demissão de terceirizados, lixo e compra de uniformes.

Dentre os avanços, são citados a regularização de repasses para Santa Casa, Hospital do Câncer Alfredo Abrão, rescisão de contratados da Omep/Seleta e da concessionária de limpeza pública CG Solurb. Contratos judicializados, nesses casos, aguardam decisões para que sejam cumpridos.

Convênio com o governo estadual assegurou R$ 25 milhões adicionais para se tapar buracos e, futuramente, recapear vias urbanas. Já obras de R$ 24 milhões na travessa Guia Lopes, Avenidas Bandeirantes, Brilhante e Marechal Deodoro ficam sob responsabilidade do Exército Brasileiro.

Quanto a educação, houve reforço com a contratação de 73 professores. Merenda que, “do pouco que tinha estava podre e com caruncho”, teve estoque recuperado. Uniformes e kits escolares em atraso por quatro anos, segundo Trad, estão com processo “avançadíssimo”.

Para o prefeito, avançar mais dependerá de “tempo maior e compreensão” também do Ministério Público em suas ações e de esforços conjuntos com a bancada federal a fim de se recuperar recurso de obras quase perdidas por inércia da administração anterior.

Fonte: Correio do Estado

Comentários

Comentários