Prefeitura precisa de R$ 14 milhões para terminar obras paralisadas

A prefeitura de Campo Grande sem recursos para arcar com a contrapartida para destravar e finalizar três grandes obras de infraestrutura na Capital solicita empréstimo de R$ 14.017.207,28 da Caixa Econômica Federal (CEF).

O projeto de lei que solicita o empréstimo tramita na Câmara de Vereadores, que precisa autorizar a transação antes de a administração municipal efetivá-la.

O empréstimo é necessário para “contrapartida das obras e urbanizações dos córregos Bálsamo, Segredo e Taquaral” que estão travadas tanto por falta de recursos próprios quanto por necessidade de revisão de projetos.

Os recursos pretendidos servirá para custear as indenizações de moradores,  principalmente do Bálsamo, que terão que sair de suas casas para que avenidas sejam abertas.

Conforme a minuta do projeto, que será votado pela Casa de Leis nas próximas semanas, o dinheiro vai ser usado para “intervenções de infraestrutura, urbanização, recuperação de áreas degradadas e equipamentos comunitários”.

Entre as intervenções que precisam ser feitas, no Bálsamo, é necessário abrir uma nova avenida e concluir outra; no Segredo, abrir continuação de via e no Taquaral, realizar obras de contenção de erosão.

Rudi Fioresi, secretário de Obras salientou que em recursos federais são pelo menos R$ 48 milhões em caixa, insuficientes para concluir os três projetos.

 

Comentários

Comentários