Polícia Militar de Aquidauana lança projeto inédito de terapia com cães

Nesta semana, o 7º Batalhão de Polícia Militar de Aquidauana, em parceria com a Escola Pestalozzi, lançaram o projeto “Pêlo amigo”, projeto este que utilizará o cão como recurso terapêutico no atendimento a pacientes portadores de necessidades especiais. O objetivo do projeto é facilitar a integração social e a práticas educativas, uma vez que a terapia será realizada em ambiente aberto com contato direto com a natureza e o contato com o animal; proporcionando melhoria na qualidade de vida através da interação homem-animal. Esse método de atendimento vem sendo utilizado com sucesso em muitos países: em redes hospitalares, em escolas, empresas, instituições asilares entre outros; mas no MS o projeto é pioneiro.

Policial condutor, cão, aluno e fisioterapeuta, durante atividades de cinoterapia.
Policial condutor, cão, aluno e fisioterapeuta, durante atividades de cinoterapia.

O projeto “Pêlo Amigo” teve seus primeiros “rascunhos” no canil setorial da Rotai do 7º BPM de Aquidauana, onde policiais militares perceberam que não havia projeto semelhante na PMMS e que poderiam doar seu tempo e conhecimento às causas sociais da comunidade de Aquidauana e região.

Nas atividades  é evidente a "demonstração de carinho e afeto"
Nas atividades é evidente a “demonstração de carinho e afeto”

“Percebemos que o projeto de Equoterapia (terapia com eqüinos) é um sucesso, mas a oferta nem sempre supre a demanda, por isso tínhamos que fazer algo. Estudamos a questão a fundo, elaboramos o projeto e o apresentamos ao comandante do CPA-3, Coronel PM Evaldo Mazuy; e ao comandante do 7ºBPM, tenente-coronel Marcos do Nascimento Silva; que de pronto, gostaram e apoiaram o projeto já na apresentação. Depois disso levamos à Escola Pestalozzi e a Direção Geral, Pedagógica e Fisioterápica também abraçaram a idéia. Depois desse primeiro contato eles viabilizaram parceiros que disponibilizaram um cão, ração e banhos semanais. É uma gama muito grande de pessoas com um só interesse: ajudar quem mais precisa“ – disse o Soldado Santos, um dos responsáveis pelo projeto.

Equipe multidisciplinar, PMs e colaborador do projeto
Equipe multidisciplinar, PMs e colaborador do projeto

No lançamento do projeto, os policiais militares agradeceram ao senhor André Alves, proprietário do canil Queen Labs, da cidade de Campo Grande (MS), que doou um cão da raça labrador e esteve prestigiando o lançamento do projeto. A apresentação do projeto contou ainda com a presença de alunos, profissionais da equipe multidisciplinar e médica da Pestalozzi, com os adestradores do Canil Setorial da Rotai, além autoridades civis e militares.
Na ocasião, foi realizada uma sessão de Cinoterapia (terapia com cães) que durou aproximadamente uma hora. Nesta apresentação ficou evidente a interação das crianças com os cães, da alegria de ter um amigo de pêlos e de como essa interação auxilia na prática de exercícios que estimulam o desenvolvimento mental e de coordenação motora dos alunos.

O tenente-coronel Marcos, comandante do 7º BPM, enalteceu o trabalho desenvolvido pelo canil da Rotai, lembrando que “a tropa especializada, de pronto-emprego da nossa unidade, não se especializa somente na prevenção e repreensão ao crime, mas também no trabalho social. A Rotai é composta de seres humanos, pais e mães de família que têm sentimentos e demonstram preocupação com o próximo”.

Emoção do soldado Santos em estar participando do projeto
Emoção do soldado Santos em estar participando do projeto

Já o comandante do CPA-3, região oeste do Estado, coronel Evaldo Iahn Mazuy, não escondeu sua emoção: “Quando o sargento Acir, o soldado Santos e o soldado Neto apresentaram o projeto, fiquei muito emocionado. Primeiro porque vi nesses policiais a vontade de trabalhar, de sacrificar seus horários de folga e de vencer obstáculos em prol de uma boa causa. Num segundo momento, porque essas crianças precisam de uma melhor qualidade de vida, poderia ser um filho ou neto da gente e isso nos comove, pois da mesma forma que queremos um tratamento digno para nossos filhos e netos temos que proporcionar isso àqueles que apresentam atonias temporárias ou permanentes” – disse o Comandante do CPA-3, Coronel Evaldo Mazuy, que estava muito emocionado e orgulhos com o projeto da Polícia Militar.

Comentários

Comentários