Neve dos Alpes preserva corpo de casal desaparecido há 75 anos

O derretimento de uma geleira na Suíça revelou dois corpos congelados que seriam de um casal desaparecido há 75 anos, de acordo com a mídia local.

Marcelin e Francine Dumoulin desapareceram em agosto de 1942, enquanto pastoreavam suas vacas nos Alpes suíços. O casal estava a 2,6 mil metros de altura.

Seus sete filhos nunca perderam a esperança de encontrá-los. A filha mais nova, Marceline Udry-Dumoulin, de 79 anos, disse que pretende dar aos pais o funeral que eles mereciam.

“Passamos nossas vidas procurando por eles”, disse Udry-Dumoulin ao jornal Le Matin, da cidade de Lausanne. “Depois de 75 anos de espera, essa notícia me traz uma paz profunda.”

Roupas de época

De acordo com a polícia, um teste de DNA deve ser feito nos próximos dias. Os corpos foram descobertos na semana passada na geleira de Tsanfleuron, pelo funcionário de uma empresa de teleféricos de esqui.

Bernhard Tschannen, diretor da empresa relatou que o funcionário encontrou primeiro o que seriam os pertences do casal – mochilas, tigelas de alumínio, uma garrafa de vidro e sapatos. Em seguida, viu parte de um corpo sob o gelo.

A polícia do cantão de Valais afirmou, em um comunicado, que um livro, uma mochila e um relógio foram levados a Lausanne para a análise forense.

Tschannen disse que o casal provavelmente caiu em uma fissura na geleira e que a maneira como estavam vestidos indica que poderiam estar lá há 70 ou 80 anos.

“Os corpos estavam lado a lado. Eram um homem e uma mulher usando roupas da época da Segunda Guerra Mundial”, ele disse ao Le Matin.

Buscas

Udry-Dumoulin disse que sua mãe, uma professora, raramente saía para pastorear o gado nas montanhas com seu pai, um sapateiro, porque ela passou a maior parte da vida adulta grávida e o terreno era acidentado.

A filha mais nova do casal chegou a escalar a geleira três vezes para procurar por eles.

Dois meses depois do desaparecimento de seus pais, ela e seus irmãos foram adotados por famílias diferentes e perderam contato com o passar dos anos.

Ela afirmou ao jornal Le Matin que pretende organizar um funeral, mas não usar roupas pretas. “Acho que branco seria mais apropriado. Representa a esperança que eu nunca perdi”, afirmou.

Nos últimos anos, os corpos de vários montanhistas foram descobertos nos Alpes.

Climatologistas afirmam que o aumento das temperaturas globais está fazendo com que o gelo recue e revelando os cadáveres de pessoas que desapareceram há décadas.

20170719101451441506u

Comentários

Comentários