Nasa droga aranhas para ver como elas tecem suas teias ‘chapadas’

A agência espacial americana publicou os resultados de um experimento bizarro realizado nas dependências da NASA em 1995. Cientistas alimentaram aranhas com drogas como a cafeína, o LSD e a maconha para observar como elas teciam suas teias sob os efeitos desses componentes. Parece louco para você? Não para os cientistas da NASA. Desde o final da década de 40 estudos neste sentido tem sido realizado por eles.

Como era de se esperar, as drogas desgastaram os cérebros das aranhas, e enquanto umas desistiram no meio do caminho, outras continuaram seu trabalho resultando em estranhos padrões.  “Quanto mais tóxico é o produto químico, mais deformada parecia a teia quando comparada com uma teia tecida em seu estado natural”, escreveram os pesquisadores no artigo.

As alterações foram quantificadas usando ferramentas estatísticas e processadores de imagem para testar o impacto de diferentes produtos químicos nas aranhas. Depois eles disponibilizaram as fotos comparando as teias tecidas sem drogas (a esquerda) com imagens das teias tecidas sob o efeito de drogas (a direita) e o resultado é no mínimo alucinante.

Aranhas expostas ao LSD

Uma teia normal à esquerda ao lado de uma teia feita por uma aranha usando LSD.

Aranhas que receberam doses baixas de LSD – uma droga de classe A no Reino Unido que pode levar até sete anos de prisão por porte – fizeram padrões geometricamente mais regulares do que quando estavam sóbrios.

Aranhas expostas à maconha

Uma teia feita por uma aranha sob efeito de maconha à direita. Esta aranha chapada parece ter desistido em sua teia na metade. A Nasa disse que as aranhas que coletaram a droga foram facilmente desviadas enquanto construíam e deixaram suas teias inacabadas. Os pesquisadores não revelaram dados se elas tiveram aumento de apetite, algo comumente relatado pelos usuários.

Aranhas expostas ao hidrato de cloral

Uma teia normal à esquerda e uma teia feita por uma aranha em hidrato de cloral (sedativo hipnótico utilizado para dormir). As aranhas alimentadas com hidrato de cloral deixaram suas teias ainda mais rápidas do que as que tinham um pouco de cannabis. Isso pode ser porque o produto químico é um sedativo que é usado para o tratamento de curto prazo da insônia em humanos.

Aranhas expostas à cafeína

Aranhas que experimentaram cafeína fizeram teias com células desorganizadas

Uma xícara de café pode te acordar de manhã, mas atrapalha as aranhas. As teias que elas fizeram foram caracterizadas por células desorganizadas e falta do padrão normal, de acordo com Mental Floss.

Aranhas expostas a benzedrina

Uma aranha que recebeu Benzedrina teceu uma teia completamente deformada, com grandes lacunas. Elas teceram energeticamente, sem planejamento ou atenção aos detalhes.

Comentários

Comentários