Morosidade na poda de árvores causa transtorno para campo-grandenses

Foto: Câmara Municipal de CG

Nesse período de chuva a população campo-grandense além de sofrer com alagamentos e aumento no número de buracos nas ruas, está com medo da queda de árvores que são freqüentes nessa época. Atualmente, a Prefeitura de Campo Grande já autorizou cerca de 700 podas de árvores, no entanto ainda não foi feito. Esse é o caso da educadora Maria Inês Villalba, 45anos, moradora do bairro Taveirópolis que já fez o pedido para poda faz dois anos. “É muita burocracia para fazer o pedido. Fui à central do cidadão. Fiz tudo que eles pediram e faz dois anos já. Toda vez que chove eu rezo para que a árvore não caia. Eu não sei se aqui sendo bairro não é priorizado, mas rezo para que isso se resolva.”, explica a educadora.

O vereador veterinário Francisco (PSB) está percorrendo os bairros da capital conversando com a população é uma das reclamações que mais escuta e esse problema da falta de poda de arvores efetuado pela prefeitura. O Poder Executivo contratou uma empresa de serviços de manejo da arborização urbana do centro, cujo valor do serviço é da ordem de R$ 1.041.407,00 (um milhão e quarenta e um mil e quatrocentos e sete reais).

Segundo o parlamentar, a empresa que foi contratada por mais de um milhão deve fazer o serviço de manejo da arborização urbana do centro, compreendidos pelos tratos culturais (podas, adequação da área livre e tratamento para controle de pragas e patógenos), remoção (transplante, remoção total, remoção parcial e remoção de árvore caída) destoca, trituração e destinação final dos resíduos. O contrato n° 373, celebrado em 09-11-18, edital de concorrência n° 014/2017 e processo administrativo n 53995/2017-14 .” no meu gabinete recebemos vários pedidos de poda de arvores das sete regiões urbanas de Campo Grande. A população tem que esperar acontecer uma fatalidade para que o Poder Executivo tome providências. Nenhum pedido de poda de árvore feito pelo nosso gabinete foi atendido”, explica o veterinário Francisco.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur) informou por meio de nota que as equipes que executam o serviço estão trabalhando e realizando podas pontuais, mas a prioridade está sendo a remoção das árvores com o estado fitossanitário comprometido.

O vereador veterinário Francisco cobra que a Prefeitura de Campo Grande intensifique e de prioridade para as árvores já condenadas que possuem autorização. “Muitas pessoas não tem recursos financeiros para bancar uma poda de árvore de varia de R$ 1 mil a 2 mil reais”, explica o parlamentar.

Créditos: Eduardo Penedo / Assessoria de Imprensa do vereador Veterinário Francisco

Comentários

Comentários