Militares presos no caso Marielle poderão fazer delação premiada

Foto: Reprodução/TV Globo / G1

RIO DE JANEIRO-RJ (Correspondente) – Policiais da Divisão de Homicídios da Polícia Civil e Promotores do Ministério Público do RJ, prenderam na madrugada desta terça-feira (12) o policial militar reformado Ronnie Lessa (48) e o ex-policial Élcio Vieira de Queiroz (46), em decorrência da Operação Lume. Eles são acusados do homicídio da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, crimes este que completaram um ano nesta quinta-feira (14). Os militares serão convidados a fazerem uma delação premiada, afirmou o Governador do Rio Wilson Witzel. “É uma resposta importante que nós estamos dando para a sociedade: a elucidação de um crime bárbaro cometido contra uma parlamentar, uma mulher, no exercício de sua atividade democrática. Teve sua vida ceifada de forma inaceitável. Mas muito mais ainda inaceitável porque estava exercendo seu mandato”, declarou o governador. Segundo as investigações da polícia, Lessa foi a autor dos disparos que mataram Marielle e Anderson e Élcio Vieira de Queiroz era o motorista do veículo utilizado no dia do crime. Os investigadores agora querem saber quem foi o mandante e a motivação do homicídio.

Comentários

Comentários