Miglioli diz que Campo Grande “andou para trás” em algumas áreas

O engenheiro Marcelo Miglioli, ex-secretário e Obras do Governo do Estado e ex-candidato ao Senado, disse a uma emissora de rádio que “Campo Grande andou para trás em algumas áreas, perdendo 10 mil empregos na indústria e perdendo receita de ICMS”. Por isso, afirmou, “me atraiu a proposta do Solidariedade para construirmos um projeto de desenvolvimento para a nossa Capital, pensando soluções inovadoras para enfrentar os novos desafios”.

“Quando se perde 10 mil postos de trabalho na indústria e o IBGE mostra que o crescimento demográfico anual é de 10 mil pessoas, é natural que faltem recursos para a infraestrutura, para a educação e saúde”, advertiu, lembrando que a Capital perdeu o ritmo de crescimento de outros tempos.

“Entendo que cabe um projeto consequente, pé no chão mas atual, visando devolver Campo Grande ao compasso de crescimento que a população já viu em outras gestões, quando a Prefeitura era o agente indutor do progresso, atraindo empresas e investimentos”, ressaltou.

Marcelo avaliou o seu desempenho como secretário e candidato ao Senado em uma frase: “Acho que foi um bom trabalho e uma boa politica que agradou a 347 mil eleitores, mais de 96 mil deles da Capital”, rememorou.

“Elaborar um projeto para Campo Grande é buscar soluções de médio e longo prazo, que vão além de uma simples eleição ou de um programa eleitoral”, frisou, mostrando que a Rota Bioceânica vai passar por aqui, assim como a ferrovia, “o que nos torna o local ideal para um hub logístico que vai distribuir produtos para uma vasta região”.

“Precisamos criar oportunidades para as empresas de tecnologia voltadas ao universo do agronegócio e desenvolvimento de inovação, até porque temos uma massa pensante enorme nas universidades púbicas e privadas”, defendeu Miglioli, observando que esses assuntos pretende levar à população e aos setores formadores de opinião para servirem de base a um projeto para Campo Grande.

Miglioli disse que deixou o PSDB porque há uma tendência no partido de não ter candidato em Campo Grande e sinalizou para dia 26 de outubro a sua filiação oficial no Solidariedade.

Comentários

Comentários