Mato Grosso do Sul poderá comemorar Dia do Orgulho Crespo

FOTO: Victor Chileno / ALMS

Na sessão de quinta-feira (22/3), o 2º secretário da Assembleia Legislativa, deputado Amarildo Cruz (PT), apresentou Projeto de Lei que institui o Dia do Orgulho Crespo de Mato Grosso do Sul, a ser comemorado, anualmente, em 7 de novembro.

Na justificativa da proposta, o parlamentar explica que a morte da adolescente Karina Saifer de Oliveira, de 15 anos, ocorrida no dia 7 de novembro de 2017, emite um alerta para nossa sociedade, demonstrando que os atos de violência física ou psicológica são corriqueiros em nosso cotidiano. “A adolescente Karina sofria “bullying” no ambiente escolar sendo seu cabelo alvo de comentários maldosos, e isso a incomodava muito – apontado, também, como motivo para o ato extremo da adolescente de tirar a própria vida”, disse o parlamentar.

O deputado disse que algumas instituições trazem dados preocupantes sobre crimes contra a mulher negra, como o Atlas da Violência 2017. “As mulheres negras mortas por agressão passou de 54,8{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} em 2005 para 65,3{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} em 2015. O quadro é sério e indica também que muitas dessas mortes poderiam ser evitadas. Esse dia de celebração é para sociedade refletir e debater o tema, reafirmando a identidade, a história e a luta dessas mulheres”, afirmou.

Para Amarildo Cruz, a discussão sobre o cabelo dentro do contexto da identidade negra e da democracia racial é de extrema relevância, já que 51,4{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} das brasileiras têm os cabelos cacheados e crespos, sendo que apenas 30{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} assumem a naturalidade. “Precisamos compreender de que forma a negação do cabelo crespo está associada ao preconceito, inclusive institucional. É necessário pautar politicamente a tentativa de embranquecimento da raça negra e de apagamento da identidade”.

Créditos Agência ALMS

Comentários

Comentários