Martine e Kahena ganham posição e brigam pelo ouro na 49er FX no Rio

Dupla brasileira, depois de 12 regatas disputadas, está em segundo lugar para a medal race da classe. Elas estão empatadas com Espanha e Dinamarca

Se Robert Scheidt ficou no quase, Martine Grael e Kahena Kunze seguem com chances de medalha de ouro na 49er FX na Olimpíada do Rio de Janeiro. Elas conseguiram um segundo, um sétimo e outro segundo lugar, respectivamente, nas três regatas disputadas nesta terça-feira. Agora, resta só a medal race da classe, que será disputada na quinta-feira.

Depois de 12 regatas, as brasileiras estão em segundo lugar, empatadas com as espanholas, em primeiro, e as dinamarquesas, em terceiro, todas com 46 pontos. Para conquistarem a medalha de ouro, Martine e Kahena precisam “apenas” ganhar a medal race e não dependeriam de ninguém.

A dupla brasileira chegou a esta terça-feira na terceira colocação do ranking, mas conseguiu bons resultados e subiu para a vice-liderança. Na primeira regata do dia, as meninas passaram a primeira boia no terceiro lugar, mas aceleraram e cruzaram as outras duas em segundo. Já na segunda elas tiveram de sair da 16ª posição, em que cruzaram a primeira marca, para terminar em sétimo.

Por fim, Martine e Kahena mostraram que têm, sim, condições de brigar pelo ouro na quinta-feira. Em mais uma regata impecável, as brasileiras passaram pelas quatro primeiras boias em terceiro lugar e terminaram em segundo.

+ Dupla brasileira é atrapalhada por lixo na Baía e reclama: “Foi muito ruim”

A terça-feira começou com a medal race da classe Laser Radial (a Laser para mulheres). Com a mulher de Robert Scheidt, Gintare Scheidt, na disputa, mas sem chances de medalha, a britânica Alison Young venceu a regata, mas ficou em oitavo lugar no ranking geral. A medalha de ouro ficou com a holandesa Marit Bouwmeester, que terminou a Olimpíada com apenas 61 pontos, seguida pela irlandesa Annalise Murphy, com 67, e a Anne-Marie Rindom, da Dinamarca, com 71. Gintare ficou em sétimo lugar na classificação final.

Depois, Scheidt entrou em ação e venceu sua medal race na classe Laser, mas não foi o suficiente para conseguir uma medalha de bronze – o máximo que conquistaria nesta terça-feira. O ouro ficou com o australiano Tom Burton, e a prata com o croata Tonci Stipanovic. O almejado bronze então coube ao neozelandês Sam Meech.

Na Nacra 17, a dupla Cecilia Carranza Saroli e Santiago Lange conquistou o primeiro ouro olímpico da vela da Argentina. A façanha na Baía de Guanabara torna-se ainda mais heroica diante do histórico de Santiago. Aos 54 anos e com dois bronzes olímpicos na bagagem, o velejador superou um câncer de pulmão para chegar à Olimpíada do Rio. A prata na classe Nacra 17 ficou a Austrália e o bronze, com a Áustria.

Também foi disputada nesta terça-feira a medal race da classe Finn. O brasileiro Jorge Zarif terminou a regata decisiva em terceiro, mas em quarto no ranking geral. O britânico Giles Scott, o esloveno Vasilij Zbogar e o norte-americano Caleb Paine ficaram com o ouro, a prata e o bronze, respectivamente.

Fonte: Ge

Comentários

Comentários