Jornalista reitera denúncia a Lavezzi: “Tomara que me leve aos tribunais”

Gabriel Anello, autor da acusação de que Lavezzi fumou maconha na concentração, não se intimida com reação da seleção argentina e diz que confia em sua fonte

Autor da denúncia que desencadeou o rompimento da relação da seleção argentina com a imprensa, o jornalista Gabriel Anello não se intimidou com a reação radical. Nesta quarta-feira, ele reiterou a acusação de que Ezequiel Lavezzi fumou maconha na concentração antes da partida contra a Colômbia, válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia – e vencida pela Argentina por 3 a 0.

– Encantado eu me encontraria nos tribunais com Lavezzi. E isso não é um desafio. Tomara que Lavezzi me leve aos tribunais para que eu lhe mostre outras coisas sujas de sua vida pessoal – disse o jornalista, em entrevista ao canal “Fox Sports” da Argentina.

A polêmica começou no fim da noite de segunda-feira, quando Gabriel Anello postou em seu Twitter uma mensagem dando a entender que Lavezzi não seria nem relacionado para enfrentar a Colômbia porque teria fumado maconha no hotel. Na tarde desta última terça, por conta da repercussão, o atacante ex-PSG se pronunciou dizendo que iria acionar o jornalista judicialmente. Depois da partida, foi a vez de Lionel Messi tomar a palavra. Em nome de toda a seleção, ele anunciou que a equipe não atenderia mais a imprensa.

Gabriel Anello considerou a atitude de Messi e companhia uma “estupidez”.

– Me parece uma estupidez o Messi dizendo que é a primeira vez que se fala disso (maconha na concentração). Eu, pelo menos, já falei duas vezes. Não me importa ficar bem ou mal com um jogador ou um dirigente, não vivo deles, vivo de fazer meu jornalismo. E o meu jornalismo, às vezes simpático e às vezes antipático, me leva a dizer coisas que nem todos gostam – afirmou.

– Poderiam simplesmente ter dito “não queremos falar mais com essa pessoa” – completou ele, assegurando que confia em sua fonte.

Fonte: ge

Comentários

Comentários