FRANCISCA VIANA DA SILVA DIRETORA ESCOLA ALCEU VIANA

EDUCAÇÃO É UM GESTO DE AMOR!

FRANCISCA VIANA DA SILVA: Professora, casada. Especialização: Piscopedagogia Fundação CESGRANRIO RJ; Curso Metodologia do Ensino Faculdade de Educação Fátima do Sul; Pós Graduação e Metodologia de Ensino Superior Faculdade de Educação Ciências e Letras Urubupungá; Gestão Escolar Faculdade Luterania do Brasil; Empresarial – Mantenedora e Diretora uma escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental o Centro Educacional Alceu Viana; Presidente do Bairro Novo Amazonas; Membro do C.M.D.U (Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano como Presidente); Primeira Secretaria da UMAN da região do Prosa; Conselheira da ABCCON (Associação Brasileira da Cidadania do Consumidor do Estado de Mato Grosso do Sul; Conselheira do Conselho Regional da Região Urbana do Prosa(Como Vice – Secretaria); Membro do Conselho Comunitário de Segurança; Conselheira da Região Centro; Representante Conselheira do Cotolengo; Representante do Sinepe no Fórum de Educação; Membro da Legião de Maria; Membro do Movimento do cursilho Católico, Coordenadora da catequese na Capela Sagrada Família, Membro do movimento familiar cristã, Membro do movimento de encontro de casais em cristo e Diretora do Centro Educacional Alceu Viana, entrevistada pelo programa BOCA DO POVO/FM-101.9.

*Por B de Paula Filho

Boca: Vamos começar pela sua bela história de educadora?
PROFA. FRANCISCA – Sou de Fátima do Sul. Me casei aos 17 anos e fui para Tupa-SP. Lá cursei algumas faculdades. Atualmente sou proprietária da ESCOLA ALCEU VIANA. São 26 anos de trabalho. Começamos com uma pequena creche. Hoje a nossa escola virou uma referência. Todo educador sonha ter uma escola para colocar em prática o seu método de educar. Para mim foi uma agradável surpresa que o destino preparou. Sempre sonhei ser educadora”.

Boca: Como a senhora chegou ao sucesso?
Profa. FRANCISCA – “A metodologia do sucesso em qualquer área é a dedicação. Fui professora na REME, diretora da FUNLEC na época quando a Fundação foi montada por Lourival Fagundes que foi seu primeiro presidente. Sempre praticamos o estudo voltado para a comunidade. Conheciam meu trabalho e convidaram-me para ser Diretora. Confesso que nunca havia pensado nessa possibilidade. Queria apenas lecionar”.

Boca: A senhora já era de família de professores?
Profa. FRANCISCA – “Meu pai era comerciante em Fátima do Sul. Um grande mestre, pessoa sempre ligada à comunidade. Ele tinha uma empresa e ensinava a profissão às pessoas. Aquele exemplo de amor e carinho me fez querer ser educadora. Meu avô foi professor de aritmética. Ficava maravilhada em vê-lo falar da função e foi assim que comecei amar a matemática que foi a minha primeira faculdade. Na FUNLEC havia uma nova proposta pedagógica. Fiquei por lá 20 anos que nem vi passar”.

Boca: Como foi a experiência?
Profa. FRANCISCA – “Na FUNLEC a educação infantil se expandiu rapidamente. Na época só existia no Nova Bahia a escola Maria Lago. A educação infantil precisava de mais espaço para o ensino médio e fundamental. O número de adolescentes naquela região era muito alto. Foi então que eu e outra amiga resolvemos abrir uma creche, pois não havia nada semelhante no local há 35 anos atrás. Nossa creche se expandiu rapidamente”.

Boca: Quantos alunos a Alceu Viana possui atualmente?
Profa. FRANCISCA – “250 alunos. Nossa referência maior é a educação infantil. Tenho um profundo amor às crianças e aos seus pais. Trabalhamos em tempo integral. As crianças chegam às 6:30 da manhã e passam o dia conosco. Os pais as pegam às 18h.

Boca: E o aproveitamento delas?
Profa. FRANCISCA – “Trabalhamos a criança como um todo, estendendo o atendimento também às suas famílias. Temos vários projetos e trabalhamos com ênfase a cidadania. Nossas crianças se perfilam diariamente para cantar o Hino Nacional. Depois ouvem nossa mensagem e nossas orações pedindo a Deus que dê a cada um o entendimento para que possamos passar um dia de paz num ambiente de muito amor. Os pais também se envolvem em nossos projetos. Essa parceria boa para todos”.

Boca: Criança requer muita criatividade. Quais projetos aplicados no decorrer do dia?
Profa. FRANCISCA – “Temos dança, Kung Fu, balé, hortinha, etc. Conseguimos fazer um projeto de escola com preço reduzido e de alta qualidade. Trazemos os pais para dentro da escola uma vez por mês e os alunos do 6º ao 9º ano por semana para que assistam uma palestra onde discutimos várias questões, inclusive os valores pessoais e familiares. A positividade prevalece, formando uma base sólida de crescimento e expansão da escola”.

Boca: E a questão das tarefas?
Profa. FRANCISCA – “Além da estrutura mantemos nutricionista para uma alimentação balanceada, quadra coberta, escolinha de futsal, brinquedoteca, piscina, etc. As tarefinhas são feitas na própria escola com orientadores especializados. Enfocamos a responsabilidade e a cidadania. Estamos formando os cidadãos de amanhã. Mantemos uma psicóloga para ajudar nas dificuldades dos alunos e uma psicopedagoga para aqueles alunos que apresentam certas dificuldades de aprendizado. Nossa equipe é preparada para servir com amor e respeito”.

Boca: Como a senhora vê na atualidade o ensino em nosso país?
Profa. FRANCISCA – “Se não houver amor e comprometimento, não sairemos do lugar. É necessário mudança na legislação. Estou aposentada a 16 anos como Diretora na Rede Municipal e hoje estou na Rede Particular, mas sinto que o ensino está pedindo mudanças urgentes e os professores precisam amar aquilo que fazem. São os responsáveis pelo futuro do País”.

Boca: Há diferença entre o Ensino Público e o Privado?
Profa. FRANCISCA – “Não. A diferença é o grau de comprometimento das pessoas. No Ensino particular os pais cobram resultados. No Ensino público não há o mesmo interesse. Fui funcionária pública e o trabalho que fazíamos antes é o mesmo que continuamos fazendo no Ensino particular.
Temos que criar e estimular o compromisso com a educação, amar a profissão e nunca esquecer que estamos formando cidadãos e que o resultado futuro será aquilo que fizermos aqui e agora”.

Boca: Algo mais?
Profa. FRANCISCA – “Agradeço a oportunidade e o carinho de vocês. Foi muito boa a oportunidade de falar sobre algo que conheço e que me apaixonei desde criança. Nossa profissão nunca vai envelhecer.
Ensinar é a profissão do futuro. Sou feliz pela oportunidade que Deus me concedeu em realizar meu sonho de criança: ser educadora. Muito obrigada!

Comentários

Comentários