EUA aprova o 1º medicamento a base de maconha

A novidade foi recebida com alívio pelos familiares e sobretudo para os portadores de epilepsia. Os Estados Unidos aprovaram o primeiro remédio derivado de maconha. Indicado para os dois tipos mais severos de epilepsia infantil, o medicamento autorizado pelo FDA – agência reguladora do setor, é para ser aplicado de forma oral e contém em sua composição o canabidiol.

Indicado para as síndromes de Lennonx-Gastaut e Dravet, o remédio a base do canabidiol, que causa convulsões incontroláveis e geram riscos de incapacitações físicas, intelectuais, e provoca a morte prematura, apesar do medicamento possuir resíduos do THC, ele não induz a euforia. A melhor notícia é que, diferente dos remédios utilizados comumente para tratar esses distúrbios, que causavam efeitos colaterais como diarreia, vômitos, sonolência, entre outros, o remédio além de ser mais eficaz, não tem efeitos colaterais.

“É um importante avanço médico, mas não significa a aprovação da maconha ou de seus componentes”, disse por meio de comunicado Scott Gottlieb, comissário do FDA. A maconha segue classificada pelo FDA na posição número 1 entre as substâncias controladas e com riscos conhecidos. Ou seja, os estudos devem permanecer nos mesmos padrões estabelecidos para outras drogas.

Apesar do alerta da FDA, expectativa agora é de que a medida abra caminho para o experimento de outros remédios à base canabidiol para o tratamento de uma infinidade de problemas, como a ansiedade ou doenças inflamatórias, onde ele já tem sido estado com sucesso.

Comentários

Comentários