Eike ficará detido em Bangu 9, onde estão milicianos e presos da Operação Calicute

O empresário Eike Batista ficará na mesma prisão em que estão acusados de integrarem milícias do Rio de Janeiro. O grupo de 300 presos foi transferido no início de janeiro da Penitenciária Lemos de Brito (Bangu 6) para a Penitenciária Bandeira Stampa (Bangu 9) – onde Eike ficará – ambas no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste da cidade. A transferência foi realizada após a tentativa de invasão de traficantes à galeria ocupada por integrantes de milícias e ex-PMs.

Também estão no Bandeira Stampa presos da Operação Calicute sem curso superior. Entre eles está Wagner Jordão Garcia, suspeito de ser o encarregado de receber os valores da ‘taxa de oxigênio’ para Hudson Braga, ex-secretário de Obras do Governo Cabral. A operação é a que levou o ex-governador Sérgio Cabral à cadeia.

A Secretaria de Administração Penitenciária não revela com quem Eike dividirá a cela, por motivos de segurança. No entanto, confirmou que o empresário não terá acesso à cela especial.

Eike Batista foi preso na manhã desta segunda-feira, após chegar de Nova York, nos Estados Unidos. Ele teve a cabeça raspada, conforme todos os presos que ingressam no Sistema Penitenciário. No início da tarde, Eike deixou o Presídio Ary Franco com os cabelos já cortados e também vestindo o uniforme de presidiário, a caminho do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu.

Fonte: Extra

Comentários

Comentários