Dagoberto é a favor de aumentar o teto de gastos para saúde em municípios polos

Durante audiência com o Ministro da Saúde, realizado nesta quarta-feira (19), o deputado federal Dagoberto Nogueira, cobrou celeridade na reposição dos medicamentos que deixaram milhares de pessoas do Sistema Único de Saúde (SUS) desassistida. Dagoberto também defendeu que o ministro deve aumentar o teto de gastos com a saúde aos municípios polos.

“A saúde tem que gastar aquilo que for necessário e a gente saber se está havendo desperdício ou não por parte da gestão pública”.

Aos parlamentares o ministro da saúde Luiz Henrique Madetta, disse que a distribuição de remédios e equipamentos em todo o país ficou paralisada por conta de auditorias realizadas no ministério. “Foi o argumento que ele usou. Disse que haviam suspeitas por parte do Ministério de algumas irregularidades e por isso houve suspensão no atendimento de alguns medicamentos” explicou o parlamentar.

Dagoberto e os demais membros da comissão cobraram que seja regularizado o serviço de medicamento em todo o país. “Ele nos assegurou que em poucos dias as licitações para a entrega dos novos medicamentos serão realizadas e todo o atendimento normalizados”.

Mais de 25 medicamentos ficaram sem reposição por conta das auditórias realizadas pelo atual governo, em Mato Grosso do Sul, cinco destes remédios ficaram em falta, entre eles esclerose múltipla e hepatite.

TETO DE GASTOS NA SAÚDE

Em entrevista à rádio CBN, Dagoberto comentou a respeito do teto de gastos voltados para a saúde, ele defende que para a saúde não deve haver contenção, mas precaução. “Não podemos estimular que determinado município deva gastar menos ou mais com saúde. Porque se uma cidade próxima estiver investida mais em saúde que a outra, consequentemente haverá mais demandas, porque toda a região irá se concentrar somente onde o atendimento é de qualidade. Devemos pela logica ter um atendimento unificados sem desigualdade”, comentou o parlamentar.

Comentários

Comentários