Cunha diz que não vai à sessão desta quarta da CCJ, mas sim na votação

Peemedebista disse que pode mudar de ideia, ‘caso se altere previsão’.
Na sessão desta quarta não deve haver votação do parecer sobre recurso.

O presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse no Twitter nesta quarta-feira (6) que vai à sessão da Comissão de Constituição e Justiça quando for analisado  recurso contra decisão do Conselho de Ética para cassar seu mandato.

Cunha disse ainda que não vai à sessão desta quarta, já que está prevista a leitura do parecer do relator, Ronaldo Fonseca (PROS-DF), mas não a votação do texto. Deputados devem pedir vista e a votação deve ser realizada nas próximas semanas.

“Decidi não comparecer por enquanto, já que será feita a leitura e terá pedido de vistas regimental de 2 sessões. Comparecerei com certeza na sessão de discussão e votação para o exercício da minha defesa. De qualquer forma, estarei pronto para comparecer a qualquer momento,caso se altere essa previsão”, afirmou o presidente afastado.

Ronaldo Fonseca entregou o seu parecer à comissão na manhã de terça-feira (5), mas o seu conteúdo ainda não foi divulgado. Ele só será conhecido durante a leitura que será feita por Fonseca na sessão desta quarta. A previsão é de que, em seguida os deputados peçam vista, que é um prazo extra de dois dias para analisar o relatório. Com isso, a discussão e a votação do parecer ficarão para a semana que vem, que é quando Cunha pretende estar presente.

De qualquer maneira, logo após a leitura, será concedido um prazo para a defesa do peemedebista se manifestar. O advogado dele no Conselho de Ética, Marcelo Nobre, poderá usar o mesmo tempo que o relator levar para ler o seu parecer. Se preferir, porém, caso seja pedida vista, a defesa poderá optar por esperar a sessão seguinte para se pronunciar.

Na próxima reunião, terá início a fase de discussão. Os deputados poderão se inscrever para falar contra e a favor. Membros da CCJ terão 15 minutos e não-membros, 10 minutos.
Também haverá tempo para os líderes partidários se manifestarem – o tempo varia de 3 a 10 minutos de acordo com o tamanho da bancada. Em seguida, o relator poderá fazer uma réplica por 20 minutos e a defesa poderá falar mais uma vez por 20 minutos. O passo seguinte é a votação, que acontece por meio do painel eletrônico.

No recurso, Cunha questiona diversos pontos que considera erros de procedimento na tramitação do processo que o investigou no Conselho de Ética. Ele responde por, supostamente, ter ocultado contas bancárias no exterior e ter mentido sobre a existência delas em depoimento à CPI da Petrobras.

Ele nega as acusações e afirma ser beneficiário de fundos geridos por trustes (empresas jurídicas que administram recursos).

Fonte: G1

Comentários

Comentários