Coronel David e membros da segurança pública cobram dados da Ageprev sobre reforma da previdência

A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira (9) na sala da presidência da Assembleia Legislativa

O deputado estadual Coronel David participou na tarde desta quinta-feira (9), de uma reunião na sala da presidência da Assembleia Legislativa com diversas entidades da segurança pública para discutir a proposta da reforma da previdência, proposta pelo Governo do Estado no dia 31 na Casa de Leis.

Na reunião estiveram presentes representantes do Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis de MS), peritos criminais da Polícia Civil, peritos papiloscopistas, membros da ABSSMS (Associação dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais da Polícia Militar), Associação dos Soldados e Praças da Polícia Militar, Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Mato Grosso do Sul), AOFMS (Associação dos Oficiais Militares de Mato Grosso do Sul) e Sinsap (Sindicato dos Agentes Penitenciários de Mato Grosso do Sul).

“É importante dizer que a Assembleia Legislativa cumpre um papel extremamente importante quando abre a possibilidade de discussão da reforma da previdência com as entidades e associações ligadas à segurança pública, para que a partir de agora nós possamos dotar toda essa discussão dos números existentes na Ageprev (Agência de Previdência Social de Mato Grosso do Sul) e fazermos um diálogo justo entre os servidores e os membros desta Casa de Leis. Vamos cobrar os números da Ageprev, um técnico do Banco do Brasil especialista em previdência, para que ele possa nos ajudar a orientar a discussão em busca de uma solução consciente sobre o futuro da previdência dos servidores do Estado”, disse Coronel David.

“Hoje as entidades puderam apresentar suas reivindicações e continuamos com o apoio do deputado Coronel David nessa situação que preocupa todos os servidores do Estado de Mato Grosso do Sul. Queremos um diálogo adequado junto ao Governo para a aplicação desse reajuste de forma justa”, disse o presidente do Sinpol-MS, Giancarlo Corrêa Miranda.

Reforma da Previdência
O projeto prevê a criação de Previdência Complementar, regime integrado ao sistema previdenciário nacional, de caráter privado, autônomo, facultativo e contratual, com o objetivo de proporcionar um benefício adicional ao participante, buscando a manutenção do seu padrão de vida após a aposentadoria.

De acordo com o projeto, são quatro as alterações no sistema previdenciário atual: criação da Previdência Complementar ao RPPS, revisão dos planos financeiro e previdenciário, alteração da alíquota de contribuição dos segurados ativos e inativos, de 11{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} para 14{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} para os servidores, e de 22{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} para 28{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}, a contribuição do governo, além do fortalecimento da gestão da Ageprev com a instituição do fundo único.

Todos os servidores ativos, no âmbito dos poderes, passarão a integrar, dentro do Regime Próprio de Previdência Social, um Plano Previdenciário Único, como determina a legislação federal. A sistematização (desfazimento da segregação das massas e reunificação do RPPS em um plano único) vai fortalecer a Ageprev.

CRÉDITO: Assessoria de imprensa Deputado estadual Coronel David (PSC)

Comentários

Comentários