Coordenadores do Fórum dos Servidores fazem análise de conjuntura sindical após mobilizações nacionais

Integrantes do Fórum dos Servidores Públicos de Mato Grosso do Sul se reuniram na tarde desta terça-feira (20) para analisar a conjuntura sindical após mobilizações nacionais, entre elas a Jornada Nacional de Luta, que ocorreu em Brasília (DF), nos dias 12, 13 e 14 de setembro, em defesa dos direitos dos trabalhadores e contra os prejuízos da PEC 241/16, PLS 204/16 e PLC 54 (antes em trâmite como PLP 257 na Câmara dos Deputados).

 

O coordenador do Fórum e presidente do SINDIJUS-MS (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul), Fabiano Reis, deu início a abertura fazendo uma rápida retrospectiva sobre o andamento da mobilização em Brasília. Do Sindicato, também esteve presente o vice Leonardo Lacerda.

Em seguida, Fabiano salientou a importância de não partidarizar a luta dos trabalhadores para não perder o foco da mobilização, além de afastar a sociedade do debate. “Não partidarizando o movimento conseguimos agregar mais pessoas na mobilização, unificando a nossa luta e tendo uma voz única frente ao governo”.

Na sequência, o presidente do Sinpol, Giancarlo Miranda, salientou a leitura da Carta Aberta durante sessão da Assembleia Legislativa (ALMS), na manhã desta terça-feira, representando o Fórum dos Servidores Públicos. O dirigente também ressaltou a importância de não partidarizar o movimento dos servidores públicos para fortalecer a mobilização e o andamento da mobilização em Brasília.

O diretor do Sintss-MS, Ricardo Bueno, avaliou como necessário ter um posicionamento definido quanto a questão política partidária, mas entende que deve-se unir forças com as demais entidades sindicais independentemente da opinião partidária. Destacou ainda a possibilidade de fazer um Regimento Interno do Fórum dos Servidores.

O presidente da ACP, Lucílio Nobre, também destacou a importância da participação da base na política partidária e comentou sobre o evento da entidade, onde os candidatos a prefeitos participaram de debate político.

Foi falado também sobre os atos nacionais que aconteceram nos dias 21 e 22 de setembro. O presidente do Sinpol convidou os coordenadores do Fórum para participarem da mobilização em defesa dos direitos dos trabalhadores por meio de doação de sangue. Já os professores realizarão manifestação no dia 22 de setembro, aderindo ao Dia Nacional de Paralisação convocado pela CNTE, também em defesa dos direitos trabalhistas.

Além das entidades mencionadas acima, participaram os dirigentes do Sinsemp-MS, ADUFMS, Sinder-MS, Sintepa, Sigeasfi, Dieese e Sinsap.

Comentários

Comentários