Contra ‘novo cangaço’, estados querem compartilhar informações até março

Secretários de MS, MT e PR se reúnem nesta quinta para discutir segurança

Acontece nesta manhã, na Capital, primeira reunião entre secretários de segurança de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná – que articulam ações contra grupos criminosos que agem nos Estados, entre eles o “novo cangaço”. Antes de decidir ações que serão sigilosas, os representantes dos governos adiantaram que um dos objetivos do grupo é criar sistema de compartilhamento das informações de segurança entre os três estados. Primeiras ações poderiam ser colocadas em prática ainda no primeiro trimestre deste ano.

A reunião serve para o planejamento de operações conjuntas entre os estados envolvidos para combater crimes, mais frequentes na região norte do Estado e nas linhas fronteiriças com a Bolívia e Paraguai, apontadas como portas abertas à entrada de cocaína, maconha e mesmo ao tráfico de armas.

Os secretários querem, em primeiro momento, compartilhar as informações policiais com os estados vizinhos. Isso poderia ser colocado em prática ainda no primeiro trimestre deste ano, garantem os representantes dos governos.

Futuramente, a ideia é compartilhar tudo em um único sistema que precisaria de custos para ser montado. “Em momentos de crise, é importante que os estados se unam. Essa reunião representa um dos subnúcleos de inteligência que materializa desejo dos estados de trabalhar em conjunto”, disse o secretário de Mato Grosso do Sul, José Carlos Barbosa.

O secretário lembrou, ainda, de dificuldades como o pleno funcionamento do Sisfron e do sistema de rádio do Estado, que atualmente é diferente dependendo de cada força policial.

Do Mato Grosso, Roger Jarbas afirmou que no estado já existe sistema que integra as forças de segurança e que a intenção é usar esse modelo como piloto para integrar os estados que compõem o novo subnúcleo de segurançajá pode ser na próxima semana. “Temos que ser modelo, temos muita informações, mas não a tratamos de forma integrada”, completou.

Wagner Mesquita, secretário do Paraná, também reforçou necessidade de gestão integrada e análise sobre panorama do crime organizado. “É preciso investimento mais focado para salto de informação. Essa medida está prevista em plano nacional de segurança, mas estamos nos antecipando”, disse.

O encontro segue ao longo do dia, no Parque dos Poderes, na Capital.

Fonte: Correio do Estado

Comentários

Comentários