Confusão entre adolescentes levou à morte a jovem acadêmica Luana Farias na Capital

Foto: Polícia Civil

Na tarde de hoje (6), durante coletiva de imprensa realizada na 4ª delegacia de polícia de Campo Grande, a titular da unidade, Célia Maria Bezerra, detalhou as circunstâncias que levaram à morte da jovem acadêmica Luana Farias de Oliveira, de 20 anos, na madrugada do último dia (3), no centro comunitário do Bairro Universitário, onde ocorria um baile funk.

De acordo com a delegada, a jovem estava no local com o marido e alguns amigos e comemoravam uma promoção funcional de Luana.

Detalhou ainda que, no evento, com cerca de 250 pessoas, estavam o adolescente de 15 anos (suspeito do ato infracional) com a namorada, e o ex-namorado dessa menor de idade.

Em certo momento, o ex-namorado da menor de idade teria visto ela beijando o adolescente infrator de 15 anos, seu atual namorado, e foi tirar satisfação. Foi quando a confusão teve início.

Estilhaços da garrafa que se quebrou, atingiram Luana no pescoço, braço e pavilhão auricular esquerdos.

Durante a briga o adolescente infrator quebrou uma garrafa de bebida na cabeça do ex de sua atual namorada, e alguns estilhaços da garrafa que se quebrou, atingiram Luana no pescoço, braço e pavilhão auricular esquerdos. A lesão do pescoço de 2cm, provocou uma grande perda de sangue, o que ocasionou sua morte.

A delegada Célia informou que por conta deste corte, Luana teria perdido muito sangue, a ponto de chegar sem vida na unidade de saúde, para onde teria sido levada pelo seu marido.

Durante os levantamentos realizados pelo Setor de Investigações Gerais (SIG) da unidade, 12 pessoas com envolvimento direto ou indireto no caso, já foram ouvidas.

Como o suspeito é um menor de idade, segundo a delegada, o caso será encaminhado para a Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (DEAIJ), que assumirá as investigações.

Créditos: Valmir Roberto Dias

Comentários

Comentários