Civitox orienta sobre cuidados com acidentes com animais peçonhentos

Foto: Mundo Educação

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio do Centro Integrado de Vigilância Toxicológica (Civitox), informa sobre os cuidados que a população deve tomar para evitar acidentes por animais peçonhentos, como escorpiões, aranhas e cobras.

Este ano, o Civitox registrou 367 casos de acidentes com animais peçonhentos, sendo 186 envolvendo escorpiões, 56 casos com abelhas, 44 com cobras e 25 com aranhas. Em 2018, foram 3.554 casos, com  2.145 registros com escorpiões e 512 com cobras.

Nos meses mais quentes e chuvosos (setembro a março) há um aumento no número de casos em relação aos demais meses do ano, cerca de 40{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} das ocorrências são registrados. As estratégias de atuação, junto às populações expostas aos riscos de acidentes, devem incluir noções de prevenção e medidas de atuação frente às ocorrências de acidentes.

Entre as principais recomendações estão:

  • Não coloque as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou pedras. Caso seja necessário mexer nestes locais é sugerido o uso de um pedaço de madeira, enxada, etc.;
  • Inspecione roupas, calçados, toalhas de banho e de rosto, roupas de cama, panos de chão e tapetes, antes de usá-los;
  • Afaste camas e berços das paredes e evite pendurar roupas fora dos armários. Não deixe que lençóis ou cobertores, sobre as camas e berços, encostem-se no chão. Escorpiões e aranhas podem utilizá-los como apoio e se abrigar entre esses tecidos e travesseiros;
  • Nivele as frestas das calçadas, pisos, paredes e portas;
  • Coloque uma barreira de proteção na parte inferior das portas;
  • Mantenha os domicílios e depósitos livres de insetos e roedores;
  • Deixe as lixeiras sempre tampadas e com sacos plásticos.

O Civitox é um dos centros pioneiros na área da toxicologia clínica, no Brasil. O Centro faz parte da Superintendência Estadual de Vigilância em Saúde, da SES, e atua dando orientações, informações, sugestões de conduta para os casos de envenenamentos em humanos e animais, palestras, através do Disque-Intoxicação do Ministério da Saúde, realizando ações de vigilância, assessoria, notificação e investigação toxicológica.

Todo acidente por animal peçonhento deve ter atendimento realizado em uma unidade de saúde. Procure assistência médica emergencial para avaliação clínica do envenenamento.

Ligue para o Civitox para suporte técnico-científico, orientação, conduta, em toxicologia clínica, e notificação, pelos telefones 0800 722 6001, (67) 3386-8655 ou 150.

Créditos: Airton Raes – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Comentários

Comentários