Carlos Marun finaliza relatório da CPMI e acusa Janot de calunia contra Temer

Carlos Marun (PMDB-MS) deputado pediu ao final do relatório da CPMI o indiciamento do ex-procurador geral da República Rodrigo Janot e do procurador da República Eduardo Pellela.

A acusação é pelo crime de prevaricação e abuso de autoridade, pois se negaram a comparecer a Comissão para prestar devidos esclarecimentos.

O relatório de 326 páginas apresentadas hoje (12) por Marun pede também o indiciamento dos irmãos Joesley e Wesley Batista, proprietários da JBS e sócios do grupo J&F e também do ex-executivo da JBS Ricardo Saud e do ex-procurador da República Marcelo Miller.

Saud e os irmãos Batista compareceram à CPMI mas exerceram o direito constitucional de permaneceram calados. Marcelo Miller respondeu às perguntas mas não convenceu nenhum dos parlamentares e nem o relator.

Em relação aos irmãos Batista, Marun pede o indiciamento pelo crime de corrupção ativa e o uso indevido de informação privilegiada e manipulação de mercado. No caso de Saud o pedido de indiciamento é por corrupção ativa. Miller é por indiciamento de corrupção passiva e improbabilidade administrativa.

Se for aprovado pela Comissão p relatório é enviado aos órgãos competentes.

A conclusão da CPMI pelo relator são de que as acusações de Rodrigo Janot que posteriormente levaram denúncias contra o presidente Michel Temer são infundadas.

Comentários

Comentários