Balanço final da Semana Nacional da Conciliação revela recorde de acordos

Maior mobilização para a redução de estoque de processos na Justiça, por meio de acordo entre as partes, a edição da Semana Nacional da Conciliação ocorrida no ano passado bateu recorde de acordos fechados.

Foram 211.591 acordos fechados com movimentação financeira de R$ 1,6 bilhão, depois de mais de 350 mil audiências de conciliação, entre os dias 23 e 27 de novembro. Os números da décima edição da Semana Nacional superam todos os anos anteriores.

Na comparação com o evento de 2014, o resultado da última semana foi 24{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} superior em número de audiências ocorridas, 41{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} maior em relação ao total de acordos e superou em 32{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} a movimentação financeira.

A Justiça Estadual obteve um desempenho ainda maior. O número de acordos subiu 55{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}, passando de 120 mil, em 2014, para 187 mil no ano passado.

Na avaliação do coordenador do Comitê Gestor da Conciliação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conselheiro Emmanoel Campelo, os resultados são decorrentes do investimento em infraestrutura e capacitação, nos moldes fixados pela Resolução 125/2010.

“Investir em capacitação é fundamental. Um conciliador ou um mediador bem treinado tem maior capacidade de tornar as partes envolvidas no conflito mais suscetíveis ao acordo, ao entendimento.

A prova disso é que o percentual de acordos celebrados vem sempre aumentando a cada edição da Semana Nacional da Conciliação”, ressalta Campelo. Este ano, o índice de acordos subiu para 60,3{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}.

Comentários

Comentários