Azambuja (PSDB) não se abala em não poder realizar seu programa de governo

Como qualquer outro ser – humano, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tem também seus momentos de frustração. O fato dele prometer e não cumprir seu programa de governo é algo que, certamente, lhe pesa na consciência, afinal, andou por todo nosso Estado durante a campanha, prometeu que construiria algo novo para a população, e tudo – até agora – não saiu da promessa.

Com o “PENSANDO MS” Reinaldo mapeou as necessidades estaduais, elaborou um plano de governo e se compromissou com os sul-mato-grossenses a torná-lo realidade. Passados 2 anos e 3 meses de governo, a população começa cobrar esses compromissos sem que eles tenham saído do papel para a realidade, o que enfraquece ainda mais o atual Governo, abalando sua credibilidade perante o eleitorado.

O QUE ELE PROMETEU:

Das 23 promessas feitas por Reinaldo durante a campanha para Governador, apenas “cinco” foram cumpridas na totalidade; três parcialmente e outras 15 permanecem intactas e até esquecidas.

Ele havia prometido: Implantar um sistema de promoção por mérito para o servidor estadual; Implementar o projeto “De casa em casa” e instalar Ouvidorias da Comunidade; Criar Autarquia para cuidar das comunidades indígenas; Reduzir a Carga Tributária (Acabar com a cobrança do ICMS adiantado e a criação de políticas regionalizadas de Incentivos Fiscais); Ampliar a Educação em Tempo Integral: melhorar o índice do IDEB; Pagar o Piso Nacional aos Professores; Fazer Concurso para professores e destinar 1,5{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} do Orçamento para a Cultura.

Além dessas, outras promessas não cumpridas: Acabar com o déficit habitacional; Implantar portos de embarque de bovinos; Fazer mutirões de saúde nos Pólos Regionais; Construir o Hospital Regional de Corumbá; Concluir o Hospital do Trauma de Campo Grande; Criar programa “Saúde dentro de Casa”; Abrir concurso para a contratação de mais médicos e Criar e implantar o Pronto Atendimento do Idoso; Aumentar o efetivo policial nas fronteiras, construir novos presídios e implantar um Corpo de Bombeiros especializado em combater incêndios florestais e implantar Auditorias Independentes em órgãos públicos.

CUMPRIDOS PARCIALMENTE:

Ampliou a educação em tempo integral: Em 2016 duas escolas (600 vagas), passaram a ser de tempo integral em Campo Grande. Neste ano, a Secretaria de Estado de Educação (SED) implantará a ‘Escola da Autoria’ em 12 unidades escolares nas seguintes cidades: Campo Grande, Dourados, Corumbá, Maracaju e Naviraí, beneficiando mais de 4 mil estudantes do ensino médio.

Não abriu Concurso para Professores do Quadro Permanente e nem existe previsão para realização de concurso para contratação de professor. Estão sendo convocados os aprovados no último concurso realizado em 2014.

Reinaldo prometeu construir presídios por meio de parceria público-privada (PPP) e colocar os presos para trabalhar na indústria, em parceria com os Sistema “S”, visando a ressocialização.

O QUE FOI CUMPRIDO

Criou autarquia para cuidar das comunidades indígenas e ampliar as áreas das aldeias sem entrar em conflito com produtores. Criou política regionalizada de incentivos fiscais, instituindo uma política de incentivos diferenciada para cada região a fim de atrair novos empreendimentos objetivando a geração de renda.

Está pagando o Piso Nacional aos Professores obedecendo a “Lei do Piso Salarial Profissional Nacional”. Implantou Auditorias independentes em todos os órgãos públicos e pregões eletrônicos para aumentar a fiscalização. Fez Mutirões da Saúde nos Polos Regionais: Duas ‘caravanas da Saúde” que em mais de duzentos casos se transformaram num pesadelo para dezenas de pessoas que tiveram suas situações de visão “pioradas” devido à pressa, barbeiragens médicas, erros grotescos e falta de assistência àqueles que se submeteram ao atendimento.

SITUAÇÃO PIORA

A situação política de Reinaldo Azambuja (PSDB) entra na reta final. Financeiramente o Estado – que lhe foi passado com as finanças equilibradas – acabou desabando por falta de controle com contratações exageradas na campanha política passada, com intuito de alavancar a sua candidata  para a Prefeitura de Campo Grande. Dizem que foram feitas mais de mil contratações, inchando a máquina estadual.

Depois veio outro “baque”: a queda da importação do gás boliviano. Com excesso do gás nacional descoberto na Bacia de Santos, a Petrobrás reduziu a importação e passou a gastar as reservas nacionais, numa estratégia para fazer dinheiro rápido e barato. A nossa receita estadual caiu vertiginosamente.

Agora, Mato Grosso do Sul que vive quase que exclusivamente da atividade agropecuária, sente novo “baque” com a operação ‘Carne Fraca’. As vendas da carne bovina despencaram no mercado internacional e sentimos nova queda na arrecadação estadual, cuja matriz principal é a pecuária de corte.

SEM EMOÇÃO

Azambuja (PSDB) também está “baqueado”. A classe fazendeira – que o elegeu – não quer vê-lo “nem pintado de ouro”. Perdeu sua base de sustentação. Antipatizou-se quando começou usar politicamente o Fundersul – imposto cobrado dos ruralistas – para fazer “gracinhas” em cidades interioranas, tapando buracos ou fazendo iluminação pública, esquecendo-se das vias de escoamento de produção, as chamadas “estradas vicinais”.

Antipatizou-se mais, provocando inclusive manifestações ruidosas de fazendeiros, quando apareceu, na campanha política passada, abraçado a um índio que coordena invasões indígenas em nosso Estado. Fez o gesto para tentar alavancar um seu candidato a prefeito na cidade de Miranda, mas o homem perdendo. Mesmo assim, dizem que ele está nomeado em um vistoso cargo na Casa Civil.

NÃO MOSTRA

Reinaldo leva uma vantagem: apesar de todas as dificuldades, não demonstra emoção. Se lhe disseram que houve uma hecatombe nuclear, ou que ele ganhou sozinho na Mega-Sena, ou que Jesus desceu na Terra, sua feição é a mesma.

Seus adversários dizem ser ele um homem “indecifrável”. Outros já o apelidaram de “Homem de gelo”. Se lhe disserem que ele perderá ou se elegerá em 2018, nada disso mudará sua feição.

 

 

Comentários

Comentários