Ato em defesa da Justiça do Trabalho aconteceu no Forum Ramez Tebet, em Campo Grande

Assim como em diversas capitais, em Campo Grande também aconteceu nesta segunda, 21, o ato em defesa da Justiça do Trabalho e contra ameaças de sua extinção e transferência de atribuições para outros órgãos, a exemplo do que aconteceu com o Ministério do Trabalho.

 Com a presença de advogados, juízes, procuradores e servidores do Judiciário do Trabalho, bem como de representantes de diversas categorias de trabalhadores, a mobilização ocorreu no saguão do Forum Ramez Tebet.

 Foram destacadas pelos oradores, no evento, a importância Justiça do Trabalho para a sociedade – como reguladora dos conflitos de classe – e a necessária unidade entre os diferentes segmentos para a defesa da instituição, pois não é novidade o ataques contra o Judiciário do Trabalho. O caráter protetivo da Justiça do Trabalho, a garantia do cumprimento da lei, e a existência de instâncias que possam dar algum equilíbrio na relação entre o capital e o trabalho, também foram abordados.

 As entidades presentes rejeitaram qualquer tentativa de desconstrução do Judiciário do Trabalho, fazendo um alerta à toda sociedade para que fique atenta pela preservação dos direitos conquistados na Constituição, pois o próprio Judiciário do Trabalho é um patrimônio constitucional a ser defendidos e o desmonte das leis trabalhista, o fim do Ministério do Trabalho, a desestruturação dos sindicatos e a extinção da Justiça da Trabalho são fatos interligados.

 O SINDJUFE-MS foi representado no ato pelo diretor Francisco Demontiê, que fez uso da palavra destacando o papel do Judiciário do Trabalho, de seus servidores, colocando que o sindicato continuará cumprindo seu papel de defesa do Judiciário do Trabalho e dos direitos dos servidores.

 Estiveram presentes no ato representando suas entidades: Dr. Diego Granzotto  ABRAT (Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas – Região Centro-Oeste), Dra. Eclair Nantes Vieira (Secretária Adjunta da OAB-MS), Dr. Paulo Figueiredo (representado a ANAMATRA),  Dr. Christian Estadulho (AMATRA – Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho/XXIV Região) e Diones Canela (AAT-MS Associação dos Advogados Trabalhistas de MS).

  Sindicatos e trabalhadores de diferentes categorias foram apoiar o ato, por entenderem que o ataque às leis trabalhistas, aos sindicatos e ao Judiciário do Trabalho fazem parte de um conjunto de ações articuladas com objetivo de diminuir direitos, nivelar por baixo os salários e retirar garantias constitucionais.

Comentários

Comentários