Agepen institui grupo para instrução e testes necessários para emissão do porte de arma de fogo

A Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) criou um grupo específico para a realização de testes psicológicos e de cursos de capacitação necessários à emissão e renovação de porte e registro de armas.

O grupo é formado por servidores penitenciários capacitados como instrutores de armamento e tiro, sendo eles: Richard Dias (credenciado pela Polícia Federal), Ivan Nunes Duarte, Edmilson Rodrigues Horácio, Michell Correa Franciscati, Ezequiel Rodrigues dos Reis e João Paulo Munhós (habilitados diante do Exército); e pelos pelos psicólogos de carreira da agência penitenciária, credenciados pela Polícia Federal: Paulo da Silva Godoy, Mônica Pinto Leimgruber, Patrícia Oliveira Silva Fanaia, Lucimara Mateus Potric de Souza e Vanessa Saad Mariano Acuña.

Segundo o diretor-presidente da Agepen, a criação desse grupo irá facilitar aos agentes penitenciários do Estado o acesso ao porte de arma, além de contribuir para o desenvolvimento de várias ações institucionais, como a realização de escoltas e vigilância das muralhas, dentre outras.

Stropa destaca que, além da criação do grupo, já efetivada, também estão sendo providenciadas alterações legislativas para que o porte dos agentes penitenciários do Estado tenham validade em todo o País. “Estamos buscando a estrutura necessária para o funcionamento efetivo dos cursos de armamento e tiro e para incluir o porte de arma na própria carteira funcional”, comenta.

Alguns componentes do grupo se reuniram esta semana com o diretor-presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, e com os diretores de área Reginaldo Régis (Operações), Gilson de Assis Martins (Assistência e Perícia) e Arnould Rosenacker (Administração e Finanças).

Cinco dos seis instrutores de tiro (Ivan, Edmilson, Michel, Ezequiel e João Paulo) foram capacitados por meio de parceria entre a Agepen e o Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciaria (Sinsap), em curso realizado no Clube de Tiro Prático e Esportivo Várzea Grande, na base do Setor de Operações Especializadas da Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária de Mato Grosso. O Sinsap custeou 70{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} do valor das inscrições e a Agepen ofereceu apoio na locomoção, tendo os servidores arcado com um investimento de R$ 700,00.

Já o agente penitenciário Richard, foi capacitado na Propoint, em São Paulo e custeou todo o curso com recursos próprios. Ele foi aprovado e credenciado pela Polícia Federal como instrutor de armamento e tiro para aplicar testes e emitir laudos de capacitação técnica para manuseio de arma de fogo. Este mês, a Superintendência da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul publicou a Portaria nº 971/2016-GAB/SR/DPF/MS, oficializando o credenciamento do servidor penitenciário como instrutor no quadro da Agepen.

A Portaria oficializando o grupo foi públicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (28). Clique aqui e confira o documento.

Comentários

Comentários