Advogado defende acesso a medicamento para trombofilia na rede pública

A sessão ordinária desta terça-feira (11) contou com a participação do advogado, Calleb Kaeliston Romero, que tem atendido jurídica e gratuitamente dezenas de mulheres grávidas com trombofilia. Calleb usou a Tribuna para discorrer sobre “gestação de alto risco – trombofilia e a necessidade do Poder Público desenvolver políticas que informem e previnam”. O convite foi feito pelo vereador Pastor Jeremias Flores.

 “Estou aqui para debater um tema importante e delicado que é saúde pública, em especial, a trombofilia na gestação. Tive contato com a trombofilia na pior forma, minha esposa foi diagnosticada, passamos estudar o caso, ingressamos com ação para que tivéssemos acesso ao medicamento adequado para o tratamento, passando-se um tempo a esposa do meu sócio também foi diagnosticada com trombofilia, com isso, começamos a ter proximidade com essa matéria e, passamos atender no nosso escritório de advocacia de forma gratuita mulheres grávidas, até pelo contato que tivemos com a doença”, contou Calleb.

Em seu discurso, Calleb explicou que a trombofilia nada mais é que uma propensão à trombose, popularmente conhecido como sangue grosso, que pode entupir as veias e, também, pode causar problemas para mãe e para o feto, dependendo do local onde se forma o trombo.

De acordo com Calleb, há necessidade de se olhar com atenção para as mães que não possuem condições financeiras para contratar advogado para requerer em juízo a medicação adequada para o tratamento nas redes públicas. “Estou aqui hoje para falar das mães gestantes que não tem condições de contratar advogado, algumas muitas vezes não tem informação sobre o assunto e passam pelo dissabor de ter abortos sem saber o porquê desses abortos”, disse.

Segundo Calleb através de um estudo superficial sobre a medicação oferecida pelo Poder Público foi constatado sua ineficiência, “Quando ingressamos com ação, o Poder Público defendeu que há o tratamento adequado, mas constatamos através de estudos superficiais que o medicamento oferecido pelo Poder Público não é eficaz, a Heparina que é oferecida para o tratamento, desde 1995 foi considerada medicação ultrapassada para o tratamento da trombofilia. O Clexane é o medicamento atual adequado para o tratamento, ele é fácil de ser ministrado, não precisa de supervisão médica, inclusive é indicado por médicos”, afirmou.

Por fim, Calleb solicitou apoio da Casa de Leis para discutir o assunto e elaborar Projetos para oferecer tratamento adequado a todas as mães diagnosticadas com trombofilia, “Trago esse assunto não como advogado, mas como pai, muitas mães não precisam perder seus filhos, passar pelo aborto para descobrir a trombofilia. Precisamos que essa Casa discuta essa matéria, elabore Projetos, volte seus olhos para a gestante que não tem condições de contratar um escritório de advocacia para requerer a medicação adequada nas redes públicas”, reforçou.

Comentários

Comentários