60{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} das famílias estão endividadas: 5 passos para sair do vermelho

Advogado especialista em direitos do consumidor e consultor financeiro orienta como os consumidores podem sair do endividamento

Segundo pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), de cada 10 famílias brasileiras, seis possuem dívidas em seus nomes. O percentual de 60{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df} de famílias endividadas é menor que o total registrado em janeiro, porém os números superam os endividamentos registrados em fevereiro 2015, com 57,8{d124abb9778216420301f7a7fdee54f2d809ca471a8d69088da1a3e9d609e3df}.

Para o advogado especialista em direitos do consumidor e consultor financeiro, Dori Boucault, os três primeiros meses do ano são os mais difíceis para os brasileiros, pois é um período com mais acúmulo de contas. A alta da inflação e o aumento do desemprego também contribuem para o crescimento das dívidas das famílias brasileiras. Para quem deseja reorganizar o orçamento doméstico, o advogado elaborou 5 passos para sair do vermelho. Confira!

– Faça o cálculo total da dívida: Segundo o especialista, este é um dos grandes erros das famílias, ou seja, não fazer o levantamento de todos os gastos da casa. “A primeira coisa a fazer quando se está endividado é saber a quantia líquida recebida, levando em consideração os descontos da folha de pagamento e o valor total dívida. Só assim o consumidor saberá quanto em dinheiro está entrando e quanto está saindo de casa”, observa Boucault.

– Corte os gastos desnecessários: o corte em despesas sem utilidade ajuda as famílias a reorganizar as finanças e sair da inadimplência. “Alguns gastos supérfluos precisam ser cortados para equilibrar o orçamento. Despesas com academia, curso de inglês, jantares e idas ao cinema, por exemplo, podem ser cortados e adiados para quando a família estiver bem e com a vida financeira novamente em dia”, orienta Boucault.

– Opções para quitar dívidas: para quem precisa pagar contas altas com o cartão de crédito, o especialista afirma que o crédito consignado pode ser uma boa opção para liquidar de vez a dívida. “O rotativo do cartão tem os juros mais altos. Já o consignado possui juros menores, e com ele é possível saldar a dívida maior e assumir uma menor”, destaca o advogado.

– Foque e tenha consciência antes de comprar: o advogado orienta a fazer um questionamento antes de fazer qualquer compra. “Pergunte se você realmente precisa daquele item naquele momento ou se pode ser adiado. Lembre-se que você tem outras dívidas, como aluguel, água e luz. Separe o seu salário em três partes: dívidas fixas, variáveis e emergenciais. E lembre-se sempre de se controlar para não gastar além do que pode”, afirma Boucault.

– Crie listas antes de fazer as compras: organize em uma lista tudo o que precisa comprar no supermercado e outros itens para a casa. Ter uma lista pode te ajudar também a comparar preços e ainda a evitar compras de itens por impulso.

Comentários

Comentários