40,5 mil vitimas do Aedes aegypti em 2019

Conforme os boletins epidemiológicos da SES-MS (Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul), divulgados na segunda-feira (30), o Estado teve 40.551 casos confirmados de doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. Do total, 21.966, 54, 16% foram em Campo Grande.

De zika vírus, foram 128 casos confirmados em Mato Grosso do Sul, sendo 102 em Campo Grande, cinco em Coxim, três em Ladário. Já os municípios de Corumbá, Dourados, Maracaju, Sonora foram dois casos e em Amambai, Aquidauana, Bela Vista, Camapuã, Cassilândia, Chapadão do Sul, Jardim, Nioaque, Nova Andadrina eTerenos foi confirmado um caso em cada uma das cidades. Não foram registradas vítimas fatais da doença no Estado. Ao todo foram notificados 582 possíveis casos de zika.

Já o levantamento da febre chikungunya mostrou que o Estado teve 579 notificações e 61 confirmações da doença, 31 em Campo Grande. Dourados teve nove casos, Corumbá sete. Eldorado, Jardim, Rio Verde de Mato Grosso tiveram dois casos cada.

Nos municípios de Amambaí, Bela Vista, Cassilândia, Chapadão do Sul, Maracaju, Nova Andradina, Terenos e Três Lagoas foram confirmados um caso em cada. Não houve registros de mortes por chikungunya no Estado.

Dengue
Em 2019, Mato Grosso do Sul registrou 66.634 notificações de dengue, desses, 40.362 casos foram confirmados e 27 vítimas fatais da doença.
Do total de mortes oito foram em Campo Grande, que teve 21.966 casos confirmados de dengue, durante o ano. Oito vítimas fatais foram registradas em Dourados, três em Três Lagoas, duas em Coxim.

As cidades de Maracaju, Ponta Porã, Corumbá, Costa Rica, Amambaí e Miranda tiveram uma morte por dengue, cada, em 2019, de acordo com o último boletim do ano.

Midiamax

Comentários

Comentários