Prefeito de Nova York diz a Trump que irá proteger imigrantes

Bill de Blasio se reúne com presidente eleito na Trump Tower.
México intensifica apoio a cidadãos mexicanos que moram nos EUA.

O prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, reuniu-se nesta quarta-feira (16) com o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, a quem advertiu que fará “tudo o possível” para defender os imigrantes em situação ilegal que estão na cidade de seu plano de deportação.

“Reiterei a ele que esta cidade e outras cidades do país farão tudo o possível para proteger nossos residentes e para nos assegurarmos de que as famílias não sejam destroçadas”, disse de Blasio a jornalistas após se reunir na Trump Tower com o republicano, que assumirá o cargo na Casa Branca em 20 de janeiro.

Durante a campanha presidencial, Trump afirmou que iria expulsar todos os estimados 11 milhões de imigrantes que vivem nos EUA ilegalmente. O republicano disse em uma entrevista ao programa “60 Minutes”, da rede CBS, que foi ao ar no último domingo (13) que seu governo irá se concentrar em deportar imigrantes com ficha criminal.

Como candidato, Trump também prometeu construir um muro na fronteira entre EUA e México e cobrar o país vizinho por ele, acusou o México de enviar estupradores e traficantes de drogas para sua nação e ameaçou rasgar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta) entre México, EUA e Canadá.

México intensifica apoio
O Ministério das Relações Exteriores do México anunciou nesta quarta novas medidas para oferecer apoio a cidadãos mexicanos que moram nos EUA.

A pasta informou que está trabalhando para ajudar os mexicanos a evitarem fraudes e abusos nos EUA, e disse que irá ampliar a disponibilidade de serviços consulares móveis para alcançar mais imigrantes em suas comunidades, estabelecer um número de telefone 24 horas para tirar dúvidas sobre imigração e oferecer mais consultas para que os imigrantes obtenham passaportes, certidões de nascimento e cartões de identificação consular.

O ministério ainda disse que o México irá “fortalecer o diálogo” com autoridades estaduais e locais dos EUA para proteger seus cidadãos, e acrescentou que os imigrantes deveriam “evitar qualquer situação de conflito” no vizinho rico e se portar de acordo com a lei.

A vitória surpreendente de Trump sobre a democrata Hillary Clinton no dia 8 de novembro abalou o México, levando o já fragilizado peso a bater recordes negativos e obrigando o governo a entrar em modo de emergência para tentar proteger o comércio bilateral.

Fonte: G1

Comentários

Comentários