Maternidade Cândido Mariano pode fechar leitos inaugurados há dois anos

O fechamento de 10 leitos de UTI neonatal da maternidade Cândido do Mariano, em Campo Grande, devido à falta de repasses do governo estadual, descumpre acordo com o MPE-MS em 2015 . A dívida do Estado com a instituição começou em fevereiro, e o montante acumulado beira R$ 800 mil.

Os dez leitos que podem parar de funcionar na próxima segunda-feira (17) foram inaugurados em julho do ano retrasado, em resposta a Ação Civil Pública que tramita na 1ª Vara de Direitos Difusos, a ampliação do quantitativo de leitos hospitalares, entre os quais, de UTI Neonatal.

Concomitante ao trâmite da ação judicial, vem realizando ações junto à Administração Estadual e Municipal visando o imediato aumento do número de leitos, notadamente de UTI adulta e neonatal/pediátrica. Com a inauguração desses novos 10 leitos do SUS e mais seis de conveniados, a Maternidade, que já contava com 10, passa a oferecer 26.

A época, a investigação constatou que Campo Grande possuía 172 leitos de UTI cadastrados, enquanto o ideal seria 253 leitos aproximadamente, considerando que é polo de uma grande macrorregião, a qual atende a média e alta complexidade de aproximadamente 33 Municípios.

Para disponibilizar mais leitos na maternidade, o Estado repassaria mensalmente R$ 52.150,00, que serão utilizados na locação de equipamentos para o setor e R$ 768.400,00, em parcela única para custeio da maternidade. O Município ficaria com aporte financeiro de recursos humanos. Além disso, a maternidade recebe R$ 1.162.000,00 por mês do SUS.

Comentários

Comentários