Estudo comprova que bebês armazenam conhecimento de línguas

Cientistas afirmam que bebês não esquecem idiomas escutados em sues primeiros meses de vida e que nesta fase iniciam o reconhecimento sobre a linguagem.

O estudo da Universidade Hanyang, na Coreia do Sul, mostra que a língua nativa é um conhecimento que nunca se perde completamente mesmo que uma pessoa mude de país e a esqueça, anos depois ela será capaz de voltar a falá-la rapidamente.

A pesquisa feita com adultos sul-coreanos que tinham sido adotados quando bebês por casais holandeses mostraram que estes superaram as expectativas na pronúncia de sua língua natal após receberem treinamento.

Os cientistas indicam que os pais devem conversar o máximo possível com os bebês desde os primeiros meses. A descoberta define o inicio do armazenamento da linguagem, que se mantém preservado mesmo quando não utilizado, e reaprendido décadas depois.

ESTUDO

O grupo analisado foi comparado com adultos que não haviam tido qualquer contato com o idioma coreano na infância e ambos foram avaliados por coreanos nativos.

Antes de fazerem o curso rápido da língua, os dois grupos tiveram o mesmo desempenho. Mas, depois das aulas, os adultos adotados apresentaram resultados surpreendentes ao falar coreano.

Outro ponto analisado foi que não houve diferença entre as pessoas adotadas com menos de seis meses, antes de aprenderem a falar, e as adotadas a partir de um ano e meio quando se inicia a aprendizagem da fala indicando que se trata de uma natureza abstrata. Ou seja, não depende apenas da experiência prática.

A Dra. Jiyoun Choi declara que o processo de aprendizado da linguagem começa muito cedo, por isso é importante falar com o bebê sempre, desde antes do nascimento, ainda na barriga da mãe. Segundo a pesquisadora já nesta fase eles absorvem e digerem o que você está dizendo e quando nascem reconhecem a voz materna.

Comentários

Comentários